Virgem Maria “escandalosa” do artista Chris Ofili vai para o MoMA

O Museu de Arte Moderna de Nova York recebeu a famosa pintura de Chris Ofili, A Santa Virgem Maria (1996), como presente do financiador de fundos Steve Cohen.

O prefeito de Nova York, Rudy Giuliani, atacou a famosa obra em 1999, quando fazia parte da mostra “Sensation” no Brooklyn Museum, chamando-o de “coisa doentia” e anticatólico. A peça, que foi incluída na retrospectiva de Ofili do New Museum de 2014, apresenta uma Virgem Maria negra com características exageradas, cercada por imagens de borboletas e de bundas de mulheres recortadas de revistas pornográficas. Cintilante amarelo, dourado e azul, a peça repousa sobre duas esferas de esterco de elefante; outra adorna seu seio. Ela se destaca como uma das principais obras da arte do final do século 20.

No momento da controvérsia, que Giuliani acendeu e alimentou no período que antecedeu um possível confronto com Hillary Clinton para um assento no Senado, o prefeito tentou cortar todo o financiamento da cidade para o museu e ameaçou expulsá-lo de sua cidade. “Se eu posso fazer isso, não é arte, porque eu não sou muito um artista” , disse ele na época . “E eu poderia descobrir como juntar isso. Você sabe, se você quer jogar esterco em alguma coisa, eu posso descobrir como fazer isso.”

A batalha se desenrolou nos tribunais, onde o prefeito foi derrotado, com uma decisão declarando que se ele não restaurasse o financiamento para o museu, ele e a cidade seriam desprezados .

Ofili, que entrou no meio da controvérsia e foi criado como católico, disse ao The Guardian sobre a peça “como coroinha, eu estava confuso com a idéia de uma santa Virgem Maria dar à luz a um menino. Agora, quando vou à National Gallery e vejo pinturas da Virgem Maria, vejo como são sexualmente carregadas. A minha é simplesmente uma versão hip-hop”.

O relatório da Bloomberg aponta que o trabalho foi vendido em leilão em 2015 por US$ 4,6 milhões na Christie’s de Londres, e que em 2016 Cohen e sua esposa, Alexandra, doaram US$ 50 milhões para o MoMA por meio de sua fundação.

Compartilhar: