Tropicalismo e Pop Art em retrospectiva de Cybèle Varela

Cybèle Varela, Tucano, 1973

‘Tropicalismo’ (ou ‘Tropicália’) indica um movimento artístico de curta duração que surgiu no Brasil no final da década de 1960. Em 1972, já se podia considerar concluído. O termo deriva diretamente de uma instalação ambiental criada em 1967 por Hélio Oiticica (1937–1980), na época um dos maiores protagonistas do panorama brasileiro das artes visuais. O Tropicalismo, todavia, foi um fenômeno cultural de amplo alcance, que teve ressonância em todos os setores criativos, da arte à música, do teatro à moda, acompanhado por um sentimento comum de experimentação e crítica social. O movimento estava atrelado à ideia de “antropofagia”, literalmente um canibalismo cultural que emergiu no Brasil no final dos anos vinte, como reação ao colonialismo cultural, e esboçava a mistura da cultura tradicional e da arte brasileira , com as manifestações internacionais da Pop e Op Art.

Foi neste contexto vibrante que Cybèle Varela (n. 1943, Petrópolis, RJ) deu início à sua carreira no Brasil. A artista participou das mais importantes exposições e bienais da época, e tornou-se em breve uma das figuras-chave do Tropicalismo e da Pop Art Brasileira, antes de se mudar para Paris no começo dos anos setenta. Engajada em um prolífico intercâmbio artístico com muitos colegas, quer no Brasil, quer no exterior, com o passar dos anos Cybèle Varela desenvolveu uma linguagem crítica, mas nunca marcada por ideologia e com um toque de sutil ironia. Entre suas fontes de inspiração preferidas estão as pessoas comuns e sua relação com o ambiente urbano; o anonimato da vida nas grandes cidades e os papéis impostos pelas restrições de gênero e expectativas sociais. Pintora antes de tudo, com seus objetos em formato de caixas e pinturas quebra-cabeça sobre madeira, adere à mesma abordagem alegre e interativa que consagrou
internacionalmente os artistas brasileiros. Ao mesmo tempo, as experimentações vídeo e fotográficas foram fundamentais para sua pesquisa sobre a interação da luz, sombra e movimento.

O título desta mostra, Tropicalismo Remixed, é uma referência divertida à música e procura recriar aquela juvenil atmosfera de otimismo que caracterizava os inícios da longa jornada artística de Cybèle Varela, deixando nítido rastro na sua produção sucessiva. Um Tropicalismo “remixed” é um Tropicalismo que foi alterado, modificado de sua condição original, para criar algo novo e audaz. Este bem equilibrado sentimento de continuidade e renovação é, precisamente, o que
caracteriza a obra de Varela.

Cybèle Varela: Tropicalismo Remixed apresenta uma seleção das mais emblemáticas pinturas da artista, objetos e vídeos, desde a década de 1960 até os dias de hoje. A exposição na Fundação Brasilea em Basel – Suíça, é a primeira retrospectiva de Varela na Europa. Representa também a ocasião de reavaliar a relação da artista com a Suíça, onde viveu entre 1978 e 1993, e de examinar de que forma o encontro e a apropriação da cultura europeia influenciaram seu trabalho.
Ao examinar os principais momentos do desenvolvimento artístico de Varela e apresentando-os em capítulos organizados por ordem cronológica, a exposição quer dar novo destaque aos numerosos sucessos da artista. Além disso, analisa a contribuição de Cybèle Varela no panorama artístico, internacional e latino-americano, desde a Pop Art e a Arte Conceitual até a Figuração Narrativa e a Videoarte.

Cybèle Varela: Tropicalismo Remixed
Fundação Brasilea, Basilea
Até 31 de maio 2018

Compartilhar: