Resultado do teste de DNA de Salvador Dalí

Um tribunal espanhol encerrou um processo de paternidade trazido por uma vidente espanhola que afirmou ser a filha ilegítima de Salvador Dali e ainda  a ordenou a pagar pela exumação dos restos mortais do pintor surrealista.

Os testes de DNA provam que Salvador Dali, que morreu em 1989 com 84 anos, não era o pai biológico de Pilar Abel, uma mulher de 61 anos que afirma que sua mãe teve um relacionamento secreto com o artista. De acordo com uma decisão do tribunal de Madri com data de 13 de outubro e publicado no último dia 16 de outubro, o processo foi encerrado.

O tribunal também ordenou que Pilar pagasse pela exumação dos restos de Dali realizado em julho sem especificar o quanto a operação custava.

A árdua tarefa envolveu a remoção de uma laje pesando mais de uma tonelada que cobria seu túmulo no “Dali Theatre-Museum” em Figueras, onde o excêntrico artista nasceu em 1904. Os especialistas em forense retiraram as amostras de DNA da pele de Dali, as unhas e dois ossos longos.

Contactado pela AFP, a Fundação Dali, que promove o legado do artista, disse que ainda não avaliou o custo total da exumação. A fundação criticou uma decisão do tribunal ordenando a exumação como “incomum e injustificada”. Abel pode apelar a demissão da corte do processo de paternidade.

Se ela tivesse sido confirmada como a única filha de Dali, ela teria direito a 25% da enorme fortuna e herança de um dos pintores mais famosos e prolíficos do século 20, de acordo com seu advogado Enrique Blanquez.

Compartilhar: