Pop Society de Andy Warhol na Itália

Andy Warhol, Crânio, 1976

Abre no Palazzo Ducale de Génova, a mais recente exposição de Andy Warhol, que acontece de 21 de outubro de 2016 até de 26 de fevereiro de 2017.

Condizente com Warhol, um artista que se agradou em dar declarações vagas ou ambíguas à imprensa em quase todas as oportunidades, o título da exposição, “Pop Society” (Sociedade Pop) tem um duplo sentido. Seus múltiplos significados são manifestados em vários aspectos na obra de Warhol e que é explororada nesta exposição.

A exposição é tecnicamente dividida em cinco seções – “Ícones”, representando suas imagens de produtos norte-americanos e da cultura popular; “Retratos”, comissões pagas de Warhol da alta sociedade norte-americana; “Publicidade”, mostrando explorações do artista do meio; “Desenhos”, em que seu trabalho inicial está em exposição; e “Warhol e Itália”, explorando as visitas do artista pop para o país, bem como as suas obras com base em ícones italianos variados como Da Vinci para “Última Ceia” e do Monte Vesúvio. No entanto, os trabalhos dentro da mostra são essencialmente de dois fios, com base em duas definições de “Sociedade pop.”

Na primeira, que podemos considerar “O pop da sociedade”, Warhol pinta o mundo da década de 1960, 1970 e 1980 sobre o mercado de massa como ele viu, a partir da iconografia do presidente Mao na embalagem brilhante de Brillo Boxes ou as latas de Campbell Soup, e suas próprias fotografias de ruas de cidades americanas.

No outro, melhor descrito como “a sociedade do pop”, Warhol retrata as celebridades que se formaram ao redor dele, assim como o sistema estelar ele encontrou-se na periferia como um ícone da contracultura. Nestes trabalhos, vemos o artista pendurado em torno de Mick Jagger, que morde a mão de sua filha em uma imagem que logo se tornaria a capa do disco dos Rolling Stones ‘ “Love You Live”.

Em outras imagens, o artista pinta um verdadeiro “quem é quem” do dinheiro americano na alta sociedade em meados do século 20. Em todas as obras, no entanto, vemos Andy Warhol, a figura que catalogou e facilitou a transformação da nossa sociedade em uma sociedade pop.

Compartilhar: