PIMASP – Programa Independente do Museu de Arte de São Paulo

© André Fabro

De 19 de abril a 31 de maio de 2016, o MASP abre convocatória para o primeiro PIMASP –Programa Independente do Museu de Arte de São Paulo. Inédito no museu, o PIMASP é um programa para a formação de artistas e curadores que buscam o desenvolvimento de suas pesquisas, linguagens e projetos em artes visuais. Com duração de um ano, o programa tem início em agosto de 2016 e término em junho de 2017. Serão selecionados cerca de 12 participantes, entre artistas e curadores. A seleção será feita pelos curadores do MASP e coordenadores do programa.

O objetivo é ampliar as ferramentas críticas e investigativas dos participantes para a atuação no circuito artístico e cultural. O programa tem como referência a Bolsa Pampulha, criada em 2001, no Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte, e o Programa Independente da Escola São Paulo, criado em 2009, ambos anteriormente concebidos pelo atual diretor artístico do MASP, Adriano Pedrosa.

A atividade central do PIMASP é o seminário crítico semanal, durante o qual cada um dos participantes apresenta, individualmente, seus processos e produção que, a seguir, são debatidos com o grupo, sempre acompanhados pelos coordenadores do programa – em 2016, o curador e pesquisador Tobi Maier e, em 2017, o diretor artístico do MASP, Adriano Pedrosa. O PIMASP inclui também palestras e encontros individuais com os coordenadores e com interlocutores convidados – estes, artistas, pesquisadores e curadores ativos no circuito de arte contemporânea brasileira e internacional. O programa ainda inclui dois cursos teóricos de 16 aulas cada, que fomentam os estudos críticos em arte contemporânea, contemplando as áreas de história, filosofia, antropologia e psicologia.

Para maiores informações sobre as datas, horários e exigência acesse o site do Museu Aqui.

PROGRAMA

15h – 18h, segundas-feiras – Seminário crítico, semanalmente

Encontros semanais com todo o grupo de participantes, liderados no 1° semestre (agosto a novembro de 2016) pelo interlocutor Tobi Maier, e, no 2° semestre, (fevereiro a junho de 2017) pelo diretor artístico do MASP, Adriano Pedrosa. O seminário consiste em sessões intensas de debate em torno da produção de um dos participantes. A cada semana, um dos participantes apresenta um trabalho ao grupo para discutir as escolhas e posicionamento de seus projetos.

19h30 – 21h30, segundas-feiras – Curso teórico, semanalmente

Os participantes devem assistir a dois cursos teóricos pensados especialmente para o PIMASP, com foco em estudos críticos e arte contemporânea. O objetivo é que os participantes tenham um maior aprofundamento teórico e um vocabulário comum que facilite a discussão e apresentação dos projetos nos seminários, encontros e palestras. Cada curso tem duração de 16 aulas, sendo um deles oferecido em 2016 e, o outro, em 2017. As aulas integram a grade de cursos do MASP Escola e portanto são abertos para demais interessados (até 80 alunos).

15h – 17h, quartas-feiras – Palestras, quinzenalmente

As palestras quinzenais, ministradas por interlocutores residentes e palestrantes visitantes, servem como complemento aos seminários e encontros individuais. Com duração de duas horas, elas acontecem sempre às segundas-feiras, no período da tarde.

Encontros individuais com interlocutores

Os participantes terão dois encontros individuais com os coordenadores do PIMASP para discussão de seus trabalhos e projetos, além de encontros com outros interlocutores. Cada encontro individual dura 45 minutos. Neles, os participantes deverão mostrar sua produção e terão a oportunidade de discutir diretamente com artistas e curadores brasileiros convidados.

SOBRE OS COORDENADORES

Adriano Pedrosa é curador, escritor e editor brasileiro. É diretor artístico do Museu de Arte de São Paulo (MASP). Foi curador-adjunto e editor das publicações da 24ª Bienal de São Paulo, 1998; curador do Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte, 2001-2003, onde foi responsável pela coleção, programação de exposições e implementação da Bolsa Pampulha; curador do InSIte_2005, San Diego Museum of Art e Centro Cultural Tijuana, 2005; co-curador e co-editor das publicações da 27a Bienal de São Paulo, 2006; curador do 31o Panorama da Arte Brasileira, Museu de Arte Moderna, São Paulo, 2009; diretor artístico da 2da Trienal Poli/Gráfica de San Juan, 2009; co-curador da 12ª Bienal de Istambul, 2011; e curador do Pavilhão São Paulo na 9a Shanghai Biennale, 2012.

Tobi Maier é critico de arte, curador, docente e editor. Vive em São Paulo. Atuou como curador no Frankfurter Kunstverein, Alemanha, 2006-2008, e no MINI / Goethe-Institut Curatorial Residencies Ludlow 38, em Nova York, 2008-2011. Foi curador associado da 30a Bienal de São Paulo, 2011-2012. É mestre em Estudos Curatoriais pelo Royal College of Art, Londres, Reino Unido e doutorando em Poéticas Visuais pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Editou OEI #60/61 Extra-disciplinary spaces and de-disciplinizing moments. In and out of the 30th Bienal de São Paulo, 2013 e OEI #66 poema/processo 2014. Contribui para varias revistas de arte contemporânea como Artforum, frieze, Flash Art, Spike e Select. Tobi Maier é co-fundador do espaço expositivo SOLO SHOWS em São Paulo.

Compartilhar: