Obras de arte que listam nomes de refugiados e migrantes mortos são destruídas

Uma obra de arte com uma lista dos 34.361 refugiados e migrantes que perderam a vida tentando chegar à Europa foi destruída em Liverpool.

A lista foi produzida para o dia mundial do refugiado. E foi pendurada em outdoors de um prédio em Chinatown, em Liverpool, como parte do festival de arte da Bienal de Liverpool.

Na quarta-feira o festival twittou:

“Ficamos surpresos ao ver a maioria da “The List” removida da Great George Street neste domingo. Você ou alguém que você conhece viu alguma coisa? Você sabe por que foi removido? Ajude-nos a descobrir o que aconteceu!”

Algumas pessoas sugeriram que um trabalhador do conselho pode ter confundido o trabalho artístico com os flyers ilegais e tê-lo retirado. Mas um porta-voz do conselho da cidade de Liverpool disse que ele havia verificado e estava “100% certo” de que a lista não havia sido removida por ninguém empregado pela autoridade local.

A lista foi publicada nos painéis com a permissão dos desenvolvedores que administram o local. Eles estavam tentando ver as imagens da CCTV para ver se suas câmeras haviam capturado o culpado, disse o porta-voz do conselho.

Compilado e atualizado a cada ano pelo Reino de Ação Intercultural – uma rede anti-discriminação de mais de 560 organizações em toda a Europa – “The List” traça informações relativas à morte de 34,361 refugiados e migrantes que perderam suas vidas dentro ou nas fronteiras da Europa desde 1993.

Desde 2007, em colaboração com artistas e instituições de arte, o artista Banu Cennetoğlu, de Istambul, produziu versões atualizadas e traduzidas do “The List” usando espaços públicos como outdoors, redes de transporte e jornais.

Em comunicado, a Bienal de Liverpool disse: “É oportuno e importante tornar público a “The List” durante uma crise global de refugiados. Ficamos desanimados ao ver que tinha sido removida na noite de sábado e gostaria de saber o por quê. A lista foi aclamada pela crítica e estamos fazendo tudo o que podemos para restabelecê-la”.

A Bienal de Liverpool é o maior festival de arte visual contemporânea do Reino Unido. A cada dois anos, ela encomenda artistas internacionais para fazer e apresentar trabalhos no contexto de Liverpool em espaços públicos, galerias, museus e on-line.

Compartilhar: