Objetos ativos de Willys de Castro aterrizam em Londres

Willys de Castro, Estudo para objeto ativo [Amarelo] 1950

Willys de Castro: From Paitings to Objects 1950-1965

Continuando o projeto em associação com a casa paulistana Almeida e Dale que visa introduzir o público da Inglaterra a grandes figuras da arte moderna e contemporânea brasileira e que já levou Claudio Tozzi e Alfredo Volpi a Londres, a galeria Cecilia Brunson Projects apresenta de 8 de outubro a 9 de dezembro a individual Willys de Castro: From Paitings to Objects 1950-1965.

Com curadoria de Gabriel Pérez-Barreiro, a mostra reúne 21 obras que cobrem os primeiros anos do artista, das pinturas aos famosos Objetos Ativos, pelos quais Willys de Castro se destaca como um dos mais inovadores artistas brasileiros, que atualmente desperta a atenção da crítica internacional por sua originalidade e ineditismo.

Willys de Castro

Formado em Química, Willys de Castro (Uberlândia MG 1926 – São Paulo SP 1988) trabalhou como desenhista técnico e começou a pintar em 1948, já revelando interesse pela abstração.

Em 1954, fundou com Hercules Barsotti o Estúdio de Projetos Gráficos, no qual atuou por 10 anos e estabeleceu uma nova visualidade no design gráfico brasileiro.

Trabalhou como figurinista e cenógrafo para o Teatro de Arena e o Teatro Cultura Artística, recebendo, em 1957, o prêmio da Associação Paulista de Críticos Teatrais.

Ainda em 1957, num feito inédito, Willys de Castro produziu as partituras de verbalização para poemas concretos de Augusto e Haroldo de Campos, Ferreira Gullar e Décio Pignatari, apresentados pelo Ars Nova, no Teatro Brasileiro de Comédia, no 1o Recital de Poesia Concreta do país.

Em 1958, filiou-se ao movimento neoconcreto carioca e surpreendeu o circuito de arte com seus Objetos Ativos que romperam a superfície bidimensional da tela como suporte para a pintura. Participou da mostra Konkrete Kunst, organizada por Max Bill, em Zurique, em 1960.

Foi um dos fundadores da Associação Brasileira de Desenho Industrial e da Galeria de Arte Novas Tendências, que reuniu os concretos paulistas, a partir de 1963.

Entre 1966 e 1967, projetou estampas para tecelagem, e a partir dos anos setenta fez experiências com o metal e madeira, criando os Pluriobjetos.

Faleceu em 1988, aos 62 anos.

Compartilhar: