O triunfo da cor: Mais de 136mil espectadores

© Musée d'Orsay - RMN-Grand Palais / Patrice Schmidt

Veja matéria PÓS-IMPRESSIONISTAS na edição 49 da Dasartes clicando aqui.

Em São Paulo, a exposição O Triunfo da Cor. O Pós-Impressionismo: Obras-Primas do Musée d’Orsay e do Musée de l’Orangerie entra em sua última semana de exibição no Centro Cultural Banco do Brasil. Inédita no país, a mostra é apresentada pelo Ministério de Cultura e pelo grupo segurador Banco do Brasil e Mapfre, contando com obras-primas de 32 artistas como Van Gogh, Paul Gauguin, Toulouse-Lautrec, Seurat e outros artistas que a partir de século XIX buscaram novos caminhos para a pintura.

Até o dia 7 de julho, O Triunfo da Cor fica em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil, depois segue para o CCBB Rio de Janeiro, onde abrirá ao público em 20 de julho e permanecerá até 17 de outubro, sendo opção cultural de destaque no importante período esportivo da cidade. O Triunfo da Cor organiza as obras vindas dos museus parisienses D’Orsay e L’Orangerie em quatro módulos, que destacam a utilização da cor.

O Triunfo da Cor abre com o icônico Fritillaires couronne impériale dans un vas de cuivre, de Vincent Van Gogh. Ainda no primeiro módulo, mais uma obra-prima do artista: L’italienne, de 1887. Os nabis, artistas reconhecidos por sua ideologia espiritual da arte, ganham um módulo isolado com destaque para obras como Autoportrait octogonal, de Edouard Vuillard, recém-adquirido pelo Musée D’Orsay e que sequer chegou a ser exposto por lá, vindo diretamente para apreciação do público brasileiro. Saule pleureur, de Claude Monte, pintado pelo francês entre 1920 e 1922, é uma das telas que encerra a exposição e a única do pintor na curadoria.

A exposição dá continuidade ao trabalho apresentado pela Expomus em 2012, também no CCBB. Impressionismo: Paris e a Modernidade – Obras-Primas do Musée D’Orsay foi consagrada a mostra mais vista no mundo naquele ano. “É muito importante estar aqui pela segunda vez, e nós fizemos o melhor que pudemos para mostrar o melhor das coleções francesas do D’Orsay”, conta o presidente do museu parisiense e um dos curadores da mostra, Guy Cogeval.

Palestra com Rodrigo Naves

Na segunda-feira, dia 4 de julho, às 17h30, o CCBB promove palestra com o crítico de arte, professor de História da Arte e escritor Rodrigo Naves. A atividade é aberta ao público e os ingressos são distribuídos com uma hora de antecedência no local.

Compartilhar: