Louvre veta escultura por achar sexualmente explícita

Domestikator" do Atelier Van Lieshout coletivo, 2015

O Museu do Louvre retirou uma grande instalação de um coletivo de arte e design holandês por ser sexualmente explícito – logo após a decisão do Guggenheim de retirar três obras de arte controversas de sua próxima mostra sobre a China, após manifestações dos direitos dos animais.

A peça – “Domestikator” do coletivo Atelier Van Lieshout, cujo plano representa a copulação – seria exibida a partir de 19 de outubro nos Jardins das Tulheiras do Louvre como parte de “Hors les Murs”, um programa de arte pública organizado pela Feira de Arte Contemporânea Fiac .

“Isso é algo que não deveria acontecer”, disse Joep van Lieshout, fundador do coletivo, em uma entrevista por telefone ao The New York Times. “Um museu deve ser um lugar aberto para a comunicação. A tarefa do museu e da imprensa é explicar o trabalho “.

“A peça em si, não é realmente muito explícita”, acrescentou o Sr. van Lieshout. “É uma forma muito abstraída. Não há genitais; é bastante inocente”.

A galeria londinense Carpenters Workshop, que representa o Atelier Van Lieshout, disse em uma declaração que a decisão do Louvre era “muito prejudicial para os artistas e o programa Fiac”, acrescentando: “O trabalho simboliza o poder da humanidade em todo o mundo e sua abordagem hipócrita da natureza”.

Uma porta-voz do Louvre disse que a escolha dos trabalhos exibidos nos Jardins das Tulherias no âmbito do Fiac é feita por três comitês. “A obra “Domestikator” foi apresentada após essas comissões”, disse a porta-voz, o que não permitiu uma discussão da apresentação no jardim colegialmente.

O número de obras contemporâneas apresentadas durante a Fiac deste ano é particularmente importante, continuou a porta-voz. São cerca de 30, enquanto cerca de 20 peças costumavam ser oferecidas para uma visão pública dos muitos visitantes do jardim.

A publicação francesa Le Monde informou que o diretor do Louvre, Jean-Luc Martinez, enviou uma carta à Fiac levantando preocupações sobre a peça.

“Os comentários on-line apontam que este trabalho tem um aspecto brutal”, disse Martinez na carta. “Arrisca ser mal interpretado pelos visitantes dos jardins”.

O museu também levantou preocupações sobre a escultura, que tem 40 pés de altura, sendo situada perto de um parque infantil.

Nos últimos três últimos anos, o “Domestikator” foi exibido na Ruhrtriennale em Bochum, na Alemanha, onde permanece em exibição até quarta-feira.

Compartilhar: