Louvre expõe arte saqueada por nazistas para encontrar seus legítimos proprietários

O Museu do Louvre está colocando 31 pinturas em exibição permanente em um esforço para encontrar os legítimos donos daqueles e outras obras de arte saqueadas por nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

O museu de Paris abriu dois showrooms no mês passado para exibir as pinturas, que estão entre milhares de obras de arte saqueadas pelas forças alemãs na França entre 1940 e 1945.

Mais de 45.000 objetos foram devolvidos aos seus legítimos proprietários desde a guerra, mas mais de 2.000 permanecem não reclamados, incluindo 296 pinturas armazenadas no Louvre.

“Essas pinturas não nos pertencem. Os museus costumavam ser como predadores no passado, mas nosso objetivo é devolvê-los”, disse Sebastien Allard, diretor do departamento de pinturas do Louvre, em entrevista.

“A grande maioria das obras de arte recuperadas foram saqueadas de famílias judaicas durante a Segunda Guerra Mundial. Os beneficiários podem ver estas obras de arte, declarar que essas obras de arte lhes pertencem e solicitar oficialmente seu retorno”.

As pinturas dos novos showrooms são de vários artistas de diferentes épocas, incluindo uma paisagem notável de Theodore Rousseau,”La Source du Lizon”.

Outros trabalhos de saque mais famosos já estavam em exibição no museu, mas os visitantes não perceberam necessariamente que foram roubados pelos nazistas. Nos museus, peças de arte recuperadas pelas autoridades francesas são identificadas com o rótulo “MNR”, iniciais francesas para a Recuperação Nacional de Museus.

“Precisamos chamar a atenção para o assunto e aumentar a conscientização pública”, disse Allard. “Nós pensamos que era importante destacar o caso específico desses trabalhos, que não estão listados em nossos estoques”.

A iniciativa do Louvre é o último esforço das autoridades francesas para encontrar herdeiros das famílias que perderam suas obras de arte. Um grupo de trabalho criado pelo Ministério da Cultura é encarregado de rastrear as origens da arte e identificar os proprietários. Mas é uma tarefa longa e trabalhosa: apenas algumas peças foram devolvidas desde 1951.

“As pessoas que se apresentam precisam, por exemplo, estabelecer a prova de que a obra de arte pertencia ao seu avô”, disse Allard. “Eles precisam encontrar velhas fotos familiares e fichas de pagamento, ou coletar testemunhos. Pode demorar anos”.

Além da exibição de arte em vários museus em todo o país, as autoridades francesas também criaram um catálogo MNR, disponível on-line e pode ajudar os proprietários a identificar seus itens sem viajar para o Louvre. A lista completa é conhecida sob o nome de Rose Valland, uma curadora francesa que arriscou sua vida a manter notas sobre toda a arte que os nazistas roubaram durante a guerra.

Compartilhar:
Notícias - 09/04/2015

Tec lança novo trabalho que mescla intervenção urbana e tecnologia drone

Com curadoria de Paulo Portella, ex-coordenador do Serviço Educativo do Masp, a exposição irá contar com as filmagens produzidas pelo …

Notícias - 31/08/2017

Trabalhadores da construção civil descobrem possível grafite de Basquiat

No final dos anos 70, SAMO ©, uma logomarca que apareceu nas paredes do centro de Manhattan, era a marca dos …

Notícias - 05/11/2018

Fotografias aéreas revelam impacto ambiental da indústria americana

Os dois últimos séculos de industrialização marcaram a paisagem americana, deixando feridas de poluição que talvez nunca se curem. Áreas …

Notícias - 08/08/2017

Prêmio PIPA responde acusações de manipulação em resultado de votação

Um dia após a divulgação dos vencedores do Prêmio PIPA Online 2017, houve diversas manifestações nas redes sociais, protestando os resultados.

Jorge Luiz …

Notícias - 02/03/2015

Museu de Arte Contemporânea de Niterói corre o risco de perder a Coleção João Sattamini.

Matéria de Nani Rubin originalmente publicada no jornal O Globo em 28 de fevereiro de 2015.RIO — O Museu de …

Notícias - 30/03/2017

Especial SP-Arte - Nota 6 - Parceria entre Fundação Marcos Amaro e SP-Arte, promove novo prêmio para jovens artistas

Em parceria com a Fundação Marcos Amaro, a SP-Arte anuncia um novo prêmio que visa dar suporte a artistas que …

Notícias - 08/11/2017

Feira PARTE abre em São Paulo sua nona edição

A PARTE é a primeira feira no Brasil dedicada à arte contemporânea, com foco em novos talentos.

Plataforma de fomento à …

Notícias - 18/08/2016

Estréia Art Weekend São Paulo

O Projeto Latitude – voltado à internacionalização do mercado brasileiro de arte contemporânea e realizado por meio de uma parceria …

Notícias - 01/11/2018

Artista queer acusa autoridades de Bal Harbour de censurarem seu trabalho

Durante seis meses, Pacifico Silano se preparou incansavelmente para sua exposição ao ar livre na vila costeira de Bal Harbour, …

Notícias - 23/02/2017

Córeia do Sul inclui 9 mil artistas na lista negra

Um grupo de artistas está processando o governo sul-coreano por colocá-los em uma lista negra que os proibiu de receber …

Notícias - 09/05/2015

Livro reúne 30 anos de trajetória de Lia do Rio

Lia do Rio, conceituada artista contemporânea brasileira, em atividade desde a década de 80, terá, pela primeira vez, sua obra …

Notas - 14/03/2015

ALBANO AFONSO NO CONTEMPORARY ARTS CENTER E 21C MUSEUM HOTEL, CINCINNATI.

A Galeria Casa Triângulo anunciou que o CAC – Contemporary Arts Center e o 21c Museum Hotel, ambos em Cincinnati, …