III Circuito 10 Contemporâneo abre em Belo Horizonte

Veja a programação completa em nossa agenda.

Criar uma agenda comum que abre as portas para formar novos públicos, fortalecer o mercado da arte e ampliar o debate sobre o momento em que vivemos. Essa a proposta do Circuito 10 Contemporâneo, um dos maiores movimentos de arte contemporânea do Brasil que lança, no próximo dia 3 de março, em Belo Horizonte, a sua terceira edição.

Serão 10 exposições inéditas, gratuitas e abertas simultaneamente nas galerias que compõem o grupo: AM Galeria, Beatriz Abi-Acl, Celma Albuquerque, dotART, Lemos de Sá, Manoel Macedo, Murilo Castro, Orlando Lemos, Quadrum e Studio Cícero Mafra.

Segundo o galerista Murilo Castro, ao longo dos últimos anos, a arte contemporânea brasileira vem ganhando mais visibilidade no país e no mundo, não só em função do amadurecimento do mercado e da produção artística, mas também do trabalho consistente dos espaços dedicados à arte. “O protagonismo das galerias está no rigor com que os artistas e obras são selecionados, no compromisso com a governança, na transparência nas negociações, no permanente apoio aos artistas e no enriquecimento e valorização patrimonial dos colecionadores”, diz.

No dia 3 de março, todas as galerias da terceira edição do Circuito 10 Contemporâneo abrirão suas portas para o grande público de Belo, das 11h às 18h. No entanto, as exposições continuarão após essa data. Serão mostras com diferentes conceitos e propostas, mas todas em torno de um objetivo comum: tornar a arte mais próxima das pessoas. “O Circuito já representa um dos um dos maiores e mais significativos movimentos do Brasil. Definitivamente, os olhos do mercado e dos apreciadores da arte estão se voltando cada vez mais para Belo Horizonte e Minas Gerais”, afirma Beatriz Lemos de Sá, da galeria Lemos de Sá.

Compartilhar: