Hui Tao ganha o Grande Prêmio do 19º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil

© Divulgação

“É um vídeo discreto, que mostra o artista em um espaço que supostamente é seu quarto. A descrição (de seu corpo) é genética, visual, clínica e subjetiva. Não o situa em uma cultura particular, o conecta a uma multidisciplinaridade de culturas. Aborda raça, gênero, tradição religiosa e um dos temas mais prementes do nosso tempo, a importância de ouvir o outro – ou nós mesmos.” Desta maneira, o júri do prêmio do 19º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil definiu a obra ganhadora do Grande Prêmio, no valor bruto de R$ 75 mil, Talk about body (2013), do chinês Hui Tao (China), presente na mostra Panoramas do Sul/ Obras Selecionadas, parte da programa do 19º Festival, que teve início em 6 de outubro (terça-feira) e irá até 6 de dezembro, no Sesc Pompeia, no Galpão VB, nova sede do Festival, e no Paço das Artes.

A premiação do 19º Festival teve como júri a artista e presidente da Sharjah Art Foundation, responsável pela Bienal de Charjah, Hoor Al-Qasimi (EAU), a curadora e crítica, N’Goné Fall (Senegal), a curadora, crítica e diretora do Paço das Arte, Priscila Arantes (Brasil), o curador e cofundador da plataforma curatorial multidisciplinar Art Reoriented Till Fellrath (Suíça), e editora e curadora de arte contemporânea da Colección Patricia Phelps de Cisneros, Sofía Hernández Chong Cuy (México).

Destaque entre os novos talentos da arte contemporânea da África do Sul, o artista visual Haroon Gun-Salie foi o ganhador do Prêmio SP-Arte/ Videobrasil de incentivo a artistas e desenvolvimento de novos talentos, entregue no último sábado (10/10), durante a cerimônia de premiação. A obra ganhadora, Sunday Best (Roupa de domingo, em tradução livre), que compõe a mostra Panoramas do Sul | Obras selecionadas, no Sesc Pompeia, embora não tenha grandes dimensões, pode ser entendida como um monumento – ou, um antimonumento. A obra é um tributo do artista aos passeios que fazia pelo centro da Cidade do Cabo aos domingos, na infância. Gunn-Salie recria um trabalho originalmente produzido pela escritora Susan Lewis, aludindo aos passeios abruptamente extintos quando o bairro de District Six, conhecido por sua coesa comunidade multicultural, teve a população negra removida por um decreto do apartheid. O premiado, Haroon Gun-Salie, terá uma individual no Galpão VB, nova sede da Associação Cultural Videobrasil, em abril, durante a SP-Arte/ 2016.

Nove artistas foram contemplados com Prêmios de Residência em instituições que fazem parte do Programa de Residências Videobrasil. Em uma discussão (seleção) que envolveu os representantes das instituições parceiras desta edição, os artistas foram indicados às residências que mais tenham a contribuir com suas linhas de pesquisa e poéticas. O júri também anunciou três menções honrosas para artistas cujos trabalhos foram discutidos longamente por ele durante a avaliação.

Compartilhar: