Homem bêbado ataca uma das pinturas mais celebradas em museu de Moscou

Ilya Repin Ivan o Terrível e Seu Filho Ivan (1885). Foto: Wikimedia Commons.

Uma das pinturas mais famosas da Rússia foi danificada na sexta-feira em Moscou, quando um visitante embriagado na Galeria Tretyakov pegou um bastão de metal e deu vários golpes na tela de Ilya Repin, “Ivan o Terrível e seu filho Ivan” de 1885.

Ele perfurou a pintura em três lugares e danificou gravemente o quadro, segundo a Reuters. Felizmente, os rostos e as mãos, que estão entre as características mais célebres da pintura, não foram destruídos.

O atacante, identificado como Igor Podporin, de 37 anos, disse ter atingido a pintura porque se sentiu “sobrecarregado” depois de beber mais de duas doses de vodka no café do museu.

No entanto, alguns funcionários do museu sugeriram que ele pode ter uma influência nacionalista. A curadora Tatyana Gorodkova disse em uma conferência de imprensa que ouviu Podporin dizer que “Ivan, o Terrível”, não matou seu filho antes dele golpear a pintura – uma crença mantida por alguns nacionalistas russos.

“O incidente foi horrível e assustador e fala da agressão que reina na sociedade”, disse a diretora de Tretyakov, Zelfira Tregulova. Em uma conferência de imprensa na segunda-feira, os curadores descreveram a obra-prima do século 19 como a Mona Lisa da Rússia e lamentaram a recusa de algumas pessoas em distinguir arte e história.

No rescaldo da destruição, Tregulova disse que o incidente não poderia ter sido evitado. “Não foi possível fazer nada. Foi uma questão de segundos”, disse ela. No entanto, o museu está revendo suas práticas de segurança e pode proibir a venda de álcool no local. A pintura também será colocada sob vidro à prova de balas após a sua restauração.

Enquanto isso, o vice-ministro da Cultura da Rússia, Vladimir Aristarkhov, pediu penas mais duras para transgressões semelhantes, que atualmente levam uma pena máxima de três anos. Ele disse que um impedimento mais efetivo é necessário para compensar a escassez de pessoal de segurança em museus russos carentes de dinheiro.

Esta é a segunda vez que a pintura foi danificada. Em 1913, Repin ainda estava vivo para consertar a pintura depois de um ataque com faca, embora o incidente supostamente tenha levado o curador do museu a se suicidar.

Compartilhar: