Artista protesta na abertura de mostra do fotógrafo Raghubir Singh em Nova York alegando assédio sexual

No último domingo, 3 de dezembro, cerca de 30 pessoas se juntaram a artista Jaishri Abichandani em frente ao edifício do museu Met Breuer em Nova York para uma “performance pública participativa feminista” em resposta à retrospectiva de Raghubir Singh que estava acontecendo dentro do museu. Abichandani reivindicou publicamente, primeiro no WNYC em 13 de outubro e depois em várias atualizações de status no Facebook, que Singh abusou sexualmente dela na década de 1990.

Às 4 horas da manhã, Abichandani e outros artistas se reuniram na calçada perto da entrada do museu na Avenida Madison e seguravam cartazes vermelhos feitos pelo artista Swati Khurana com as palavras “ME TOO” em letras maiúsculas, enquanto usavam lenços de cor vermelha – feitas por Fariba Alam e Abichandani – sobre suas bocas. O cartaz de Abichandani se destacou do grupo declarando: “EU SOBREVIVI … RAGHUBIR SINGH #EU TAMBÉM!”

A performance silenciosa durou cerca de uma hora e meia, período durante o qual um pequeno grupo da performance entrou no museu para ficar na entrada da exposição com seus cartazes. Cerca de 10 minutos depois, o pequeno grupo retornou para se juntar aos outros artistas na rua.

O Metropolitan Museum of Art, que administra o Met Breuer, chegou até Abichandani antes da apresentação para expressar seu apoio ao seu direito de discurso. Sandra Jackson-Dumont, chefe do departamento de educação do museu, respondeu com a posição do museu. “O Met apoia plenamente o direito à liberdade de expressão e, portanto, asseguramos que não tentaremos detê-los”

Declaração Oficial do Museu
Após a abertura da exposição “Modernismo sobre o Ganges: fotografias de Raghubir Singh” no Met Breuer, uma mulher alega em um fórum público que ela foi assediada sexualmente  pelo Sr. Singh. O Museu não estava ciente dessa alegação anteriormente. O Met está trabalhando para habilitar o direito dos manifestantes à liberdade de expressão, assegurando que o evento não seja perturbador para os visitantes do museu e nem coloca qualquer arte em risco. Também estamos buscando planejar um fórum aberto para discutir o papel dos museus na navegação nas questões difíceis associadas a alegações e revelações sobre artistas e obras de arte.

Compartilhar: