Google faz sucesso com seu app megaviral Face-Matching Art

“Googling yourself” assumiu um novo significado neste fim de semana. Isso porque um novo aplicativo do Google que combina seu rosto com obras de arte de museus ao redor do mundo não só disparou para o topo de consumo, mas também se tornou o aplicativo gratuito número um na loja de aplicativos iOS, de acordo com a empresa.

“Nos surpreendeu”, disse Patrick Lenihan, porta-voz do Google. “Eu sou a pessoa de Relações Públicas e nem sequer lancei qualquer campanha”. O braço direito de Artes e Cultura do Google adicionou o novo recurso de selfie ao seu aplicativo há um mês, mas foi só nos últimos dias que ele se deu conta. Lenihan não tinha números para as “toneladas e toneladas” de tráfego que o aplicativo assumiu de repente.

O pico viral não foi identificado, embora Lenihan tenha dito que a cobertura recente da imprensa de Gizmodo e Buzzfeed ajudou a lançar o aplicativo na estratosfera. Os detetives do Know Your Meme apontam que os primeiros adotantes incluíam celebridades como o Pete Wentz de Fall Out Boy. E um punhado de celebridades – dos atores Kumail Nanjiani e Kristen Bell para os jornalistas Jake Tapper e Ryan Seacrest – publicaram seus resultados para as mídias sociais.

O genialidade do aplicativo pode estar em sua simplicidade. Basta encaixar um selfie e, usando a tecnologia de reconhecimento de rosto, o Google oferecerá várias obras de arte que se assemelham a você, de coleções de instituições como o Rijksmuseum em Amsterdã, a Coleção Phillips em Washington ou a National Portrait Gallery, na Australia. O aplicativo ainda se classifica, dizendo-lhe uma porcentagem que indica quão perto ele foi capaz de combinar seu rosto com a arte. (Lenihan diz que a equipe de tecnologia não poderia descrever a metodologia para a pontuação marcada sem uma longa explicação).

O aplicativo foi desenvolvido pelo Google Cultural Institute, uma pequena ala sem fins lucrativos da empresa com sede em Paris, cujo objetivo, disse Lenihan, é encontrar maneiras legais de reunir tecnologia e cultura, especialmente arte. “É uma plataforma que permite aos nossos milhares de parceiros, como museus e organizações sem fins lucrativos, compartilhar milhões de artefatos com o mundo”.

A empresa diz que não há motivo de preocupação. “Não os usamos para nada além disso, e depois nos livramos deles”, disse Lenihan. “Não estamos treinando programas de AI em reconhecimento facial ou algo assim”.

Outros criticaram a aparência do aplicativo para pessoas de cor, como um escritor perguntando: ” A aplicação de arte e cultura do Google é racista? ”

“A equipe fez muito trabalho para garantir que o conjunto de obras que usamos seja representativo ao longo de linhas de raça e gênero”, disse Lenihan.

O aplicativo está disponível atualmente em grande parte dos EUA; O Google não tem uma previsão para qualquer versão mais ampla no momento, disse Lenihan.

O sucesso é tão grande que já rende memes pela internet, inclusive com o presidente dos EUA, Donald Trump. Na ilustração um desenho do rosto do presidente está ao lado da fonte de Marcel Duchamp.

Compartilhar: