Especial SP-Arte – Nota 4: Galeria Movimento participa pela primeira vez e aposta em seus artsitas Street Art

Toz, Insonia na Mata

A galeria carioca Movimento participa pela primeira vez da SP-Arte e é representada por uma geração de artistas brasileiros que exploram novas linguagens contemporâneas para se expressar. Ricardo Kimaid Jr, sócio da Movimento, levará para a feira trabalhos dos renomados artistas Tomaz Viana, o Toz, Marcela Gontijo e Walter Nomura, o Tinho.

O artista Walter Nomura, o Tinho, levará para a feira o trabalho “Mar de Obras de Arte”, inédito da série Sete Mares, que vem executando desde 2013. As pinturas são compostas por diferentes motivos a partir de referências do artista, como livros, capas de discos, bonecas de pano, revistas, jornais, fanzines e até mesmo flyers. Os mares propostos por Tinho não são mares externos, são internos, fazem referência as suas vivências, aos seus repertórios imagéticos que o atravessaram e o atravessam até a atualidade. Na mesma linha, como desdobramento da pesquisa da serie Sete Mares, o artista apresenta seus personagens em releituras de obras importantes como a de Paul Cézanne, Di Cavalcanti e do artista barroco Caravaggio.

O artista e grafiteiro Tomaz Viana, o Toz, apresentará obra da série “Risco”, fase abstrata marcada pela ação gestual, onde o artista cobre seus emblemáticos personagens com massa corrida, e através de golpes, com traços formados ora por riscos ora por palavras, revela camadas coloridas das telas. O trabalho faz alusão tanto as questões de impermanência do grafite quanto a fase negativa mundial, cobre pensando no que será revelado daqui a muitos anos fazendo uma espécie de arqueologia do futuro.

Já Marcela Gontijo apresentará trabalhos inéditos baseados no hexagrama do I CHING, uma combinação de origem chinesa que origina 64 outras formas, cada qual com um significado em que a artista se baseia para criar uma trama que se aproxima do espaço urbano, como mapas ou plantas-baixas das cidades. A galeria também levará obras da exposição “New Territories”, produzidas em Hong Kong e apresentadas na última individual da artista, no Rio, em 2016.

Compartilhar: