Colecionador processa galeria Gagosian e Jeff Koons Studio pela não entrega de esculturas

Um importante colecionador e patrono de arte de Nova York processou dois gigantes do mercado de arte na Suprema Corte de Nova York nesta manhã, acusando a Gagosian Gallery, Inc. e Jeff Koons, LLC pela “Não entrega” de três esculturas multimilionárias de Jeff Koons, para as quais o colecionador pagou mais de US$ 13 milhões.

Na queixa de 53 páginas que inclui linhas que fazem referência a Shakespeare (“Algo está podre no estado da Dinamarca”) e que são quase dickensianas, o litigante Aaron Richard Golub de Nova York denuncia: “Por trás da ostensiva fachada do mundo da arte de Jeff Koons triunfa preços recordes de leilão mas esconde uma máquina bem oleada, mais especificamente um sistema bastante arcaico aplicado ao mundo da arte para explorar o desejo dos colecionadores de arte de possuir esculturas de Jeff Koons. O sistema arcaico expõe uma rotina financeira fraudulenta e sem juros. E assim, o dinheiro novo é usado para pagar obrigações antigas.

Além da linguagem dramática, a queixa estabelece a busca não cumprida de cinco anos do curador do Museu de Arte Moderna e antigo colecionador da ARTnews Top 200, Steven Tananbaum, para tomar posse de três esculturas não finalizadas de Koons, incluindo o “Balloon Venus Hohlen Fels” (Magenta), 2013–15, que deveria ser fabricado em aço inoxidável polido espelhado com revestimento de cor transparente e dimensionado a 35 por 20 metros.

O contrato original de compra da escultura, datado de 11 de setembro de 2014, declarou “uma data estimada para conclusão para dezembro de 2015”.

Tananbaum fez dois pagamentos para a escultura em 2014 em US$ 1,6 milhão cada.

Quando um funcionário da poderosa equipe de consultores de arte de Sandy Heller, Heller Group, pediu à Gagosian Gallery, em nome de Tananbaum por e-mail, se a produção da escultura estava dentro do prazo, a galeria disse que a data havia voltado para setembro de 2016.

Um e-mail subsequente da Gagosian Gallery reajustou a data de entrega ainda mais, para junho de 2018, dizendo em parte: “Devido ao grande volume de dados, a fase de digitalização e engenharia para esta escultura levou mais tempo do que o previsto.”

Essa data de conclusão mudou novamente para agosto de 2019 com a explicação da galeria de que o atraso foi “devido à complicada engenharia reversa do fabricante. . . que está demorando mais do que o previsto. ”

Até hoje, Tananbaum fez um depósito e três pagamentos no Balloon Venus, totalizando US$ 6,4 milhões.

“A Autora não aceitou a data estimada de conclusão de agosto de 2019”, de acordo com a queixa, “e está processando os Réus agora.”

As partes têm 20 dias para responder à reclamação.

Compartilhar: