Bruxelas recebe um nome de rua muito surreal em homenagem a Magritte

Uma das obras mais conhecidas de René Magritte será comemorada como um nome de rua em Bruxelas – com um toque surrealista adequado. Chamada “Ceci n’est pas une rue” (Esta não é uma rua), o novo nome de rua auto-negador refere-se a pintura famosa assinada pelo artista belga, com a afirmação “Ceci n’est pas une pipe” (Isto não é um cachimbo) sob uma imagem de um cachimbo de tabaco. O gesto irônico certamente será uma atração turística para a área em desenvolvimento – mesmo que isso leve alguns táxis perdidos até lá.

Os cidadãos belgas tiveram a oportunidade de nomear 28 ruas, becos, praças e passarelas ao redor da zona industrial de Tour & Taxis, onde a feira Art Brussels acontece anualmente na primavera. Os nomes vencedores foram selecionados entre quase 1.400 sugestões do público.

Perto da nova rua de Magritte, haverá uma via em homenagem à pioneira cineasta Chantal Akerman. O aclamado trabalho de 1975 da diretora belga, o filme de arte feminista “Jeanne Dielman, 23 quai du Commerce, 1080 Bruxelles”, foi ambientado na capital belga.

A rua está atualmente sendo reconstruída em uma área residencial luxuosa, então as pessoas que querem selfies ao lado da placa de rua inspirada em Magritte e Chantal Ackerman terão que esperar. Na verdade, o público pode não conseguir acessá-los, já que a maioria das ruas com nomes curiosos serão áreas com acesso privado. As maiores ruas que levam até o local, incluindo a Better World Street e a Happiness Street, serão abertas ao público.

Magritte criou sua famosa pintura em 1929, depois de completar apenas dois anos de sua primeira exposição em Bruxelas, quando tinha 30 anos de idade. Talvez seu trabalho mais instantaneamente reconhecível, “The Treachery of Images” atualmente está em exibição no museu LACMA e faz parte de sua coleção. Já o Magritte Museum de Bruxelas, inaugurado em 2009, possui cerca de 230 obras expostas pelo artista belga.

Compartilhar: