Bilionário russo, dono de Salvator Mundi e Nu de Modigliani, processa a Sotheby’s em US$ 380 milhões

A contínua e violenta batalha entre o bilionário russo de fertilizantes Dmitry Rybolovlev e Yves Bouvier, um comerciante de arte suíço e magnata freeport, alcançou novos patamares dramáticos nesta semana, quando Rybolovlev entrou com uma ação de US$ 380 milhões contra a Sotheby’s na corte federal.

As acusações são trazidas por duas das empresas de Rybolovlev e afirmam que a casa de leilões ajudou materialmente que o colecionador chama de “a maior fraude de arte da história”. É a mais recente tentativa do oligarca russo de recuperar Boubier, depois de afirmar em 2015 que ele foi cobrado em excesso pelo revendedor em 38 obras de arte adquiridas por um total de US$ 2 bilhões ao longo de uma década, entre elas o “Salvator Mundi” de Leonardo Da Vinci. A Sotheby’s esteve envolvida na venda de 14 das obras em questão.

De acordo com os documentos do tribunal, Bouvier “planejou” a fraude adquirindo as pinturas a preços mais baixos do que ele representava antes de vendê-las a Rybolovlev a taxas indevidamente marcadas, fraudulentamente embolsando milhões para si mesmo. A Sotheby’s, afirma a queixa, conscientemente e intencionalmente ao intermediar certas vendas e avaliações inflacionadas. Os papéis implicam membros da equipe da Sotheby’s, como Alexander Bell, co-presidente da casa de pinturas dos Old Masters, e o vice-presidente de vendas privadas mundiais, Samuel Valette.

Em seu comunicado oficial oferecido sobre o caso, a casa de leilões chama o caso de Rybolovlev de “desesperado” e “inteiramente sem mérito”. A Sotheby’s processou em conjunto Rybolovlev com Bouvier em Genebra em novembro de 2017, a fim de bloquear um processo que o oligarca russo estava planejando arquivar no Reino Unido. Desde então, no entanto, Rybolovlev recebeu o uso de documentos confidenciais da Sotheby’s para construir seu caso por um tribunal de Nova York. A queixa apresentada em Manhattan na terça-feira provavelmente decorre desse acontecimento, embora os documentos permaneçam publicamente não revelados.

Além da quantia sem precedentes que está sendo solicitada em danos, as reivindicações mais recentes de Rybolovlev não diferem muito das que já estão sendo julgadas nos tribunais suíços, em que a Sotheby’s afirmou que não se envolveu em qualquer delito. “Nós defenderemos vigorosamente a empresa e nossos funcionários contra essas alegações infundadas”, diz a Sotheby’s, acrescentando que a casa de leilões irá se mover para rejeitar a ação em Nova York, enquanto continua a andar com o caso atualmente em processamento em Genebra.

Alguns dos trabalhos em questão incluem “Wasserschlangen II” de Gustav Klimt (1904), que Bouvier teria comprado em 2012 por US$ 112 milhões antes de vendê-lo a Rybolovlev por US$ 183,8 milhões mais comissão de US$ 3,6 milhões, bem como “Nu Couché au Coussin Bleu de Amedeo Modigliani” (1917) ), pelo qual o colecionador pagou mais de US$ 120 milhões, incluindo taxas de comissão em 2012, embora Bouvier tenha conseguido para ele apenas US$ 95 milhões.

Talvez o exemplo de maior destaque da suposta fraude seja a venda de “Salvator Mundi” de Leonardo da Vinci a Rybolovlev em 2013 por um total de US$ 128,7 milhões, o que representa um aumento de US$ 45 milhões que Bouvier pagou por uma venda privada facilitada pela Sotheby’s. Embora o oligarca russo tenha pressionado por uma investigação federal para essa venda, o inquérito foi interrompido em junho, depois que a pintura alcançou US$ 450,3 milhões na Christie’s em novembro passado – o que rendeu a Rybolovlev um lucro líquido de mais de US$ 300 milhões.

Salvator Mundi de Leonardo da Vinci (cerca de 1500)

A Sotheby’s apresentou documentos judiciais em novembro de 2016 para antecipar um possível processo judicial sobre a venda privada de Leonardo Salvator Mundi a Rybolovlev por parte de Bouvier.

A Sotheby’s sustenta que o título dessas obras passou diretamente para Bouvier e que não tinha conhecimento prévio para quem o revendedor poderia ter pretensão de vendê-las, uma vez que as adquirisse, absolvendo assim a casa de leilões de culpabilidade. No caso da pintura de Leonardo especificamente, a Sotheby’s preencheu os papéis preventivamente em um tribunal de Nova York em novembro de 2016 para bloquear uma ação desse tipo, afirmando que não sabia que Bouvier tinha o bilionário russo à margem esperando para pagar muito mais pelo trabalho.

Ao contrário do caso arquivado em Genebra, o processo de US$ 380 milhões movido contra a casa de leilões em Nova York não inclui acusações contra Bouvier, o ator-chave nas bolsas de valores. Isso, juntamente com o processo suíço pendente, poderia levar muito em conta a decisão de um juiz de rejeitar o caso.

 

Compartilhar:
Notícias - 14/05/2015

Arte Presente – O Presente é a Realidade

A primeira edição do evento ARTE PRESENTE focada em Performance recebe a artista carioca Celina Portella para uma conversa informal …

Notícias - 19/04/2016

ArtLima estréia nova edição

Art Lima gera a plataforma de negócios mais importante da indústria da cultura peruana no campo das artes visuais, promovendo …

Notícias - 02/08/2018

Obras de arte que listam nomes de refugiados e migrantes mortos são destruídas

Uma obra de arte com uma lista dos 34.361 refugiados e migrantes que perderam a vida tentando chegar à Europa …

Notícias - 19/05/2014

Exposição Realidades Inventadas no Almacén Galeria Gávea

Almacén Galeria Gávea
 apresenta
 Christiana Guinle e Victor Haim
 na exposição
 Realidades Inventadas
 A partir do dia 06 de maio
Atriz e fotógrafo se complementam em …

Notícias - 18/01/2019

Jacopo Crivelli Visconti será o curador da 34ª edição da Bienal de São Paulo em 2020

Nascido em Nápoles, Itália, em 1973, Jacopo Crivelli Visconti é crítico e curador independente. Radicado em São Paulo, é Doutor …

Notícias - 25/10/2018

Marc Quinn vai coletar duas toneladas de sangue de refugiados para nova obra de arte

O artista britânico Marc Quinn pretende extrair sangue de pelo menos 5 mil pessoas para sua nova instalação, a “Odyssey”, …

Notícias - 06/10/2016

Objetos ativos de Willys de Castro aterrizam em Londres

Willys de Castro: From Paitings to Objects 1950-1965

Continuando o projeto em associação com a casa paulistana Almeida e Dale que …

Notícias - 17/12/2018

MASP terá ano dedicado às "Histórias das mulheres, histórias feministas"

O tema “Histórias das mulheres, histórias feministas” será pauta do programa de exposições do Museu de Arte de São Paulo …

Notícias - 18/05/2017

Resultados do mercado de arte internacional reagem em momento incerto com positividade

Há uma narrativa um tanto surpreendente sobre as vendas desta temporada em Nova York que os apresentam como algum tipo …

Notícias - 21/07/2017

Artista cria, pela primeira vez na história da arte, um poema em território extraterrestre.

Eduardo Kac, que está atualmente em exposição na Luciana Caravello Arte Comtemporânea, é autor de “Telescópio Interior” a primeira obra …

Notícias - 12/03/2015

Galeria de arte virtual 55SP nasce com a missão de democratizar o acesso a obras de arte.

No dia 14 de março, sábado, às 16h, será lançada a galeria de arte virtual 55SP (www.55spgaleria.com.br). A festa de …

Notas - 03/09/2015

Governo de São Paulo distribui nova tiragem do Passaporte dos Museus no dia 05/09

Se você ainda não sabe o que vai fazer no feriadão do Dia da Independência, aqui vai uma dica: no …