Bienal Internacional de Curitiba tem como tema “A Luz do Mundo”

© Divulgação

No ano de 2015, declarado pela UNESCO como Ano da Luz, a 22ª Bienal Internacional de Curitiba traz como tema “A Luz do Mundo”. Com curadoria geral de Teixeira Coelho, a Bienal explora a arte da luz, a arte com luz, a arte feita de luz e que tem na luz sua matéria, seu material e conteúdo.

O homenageado desta edição é o franco-argentino Julio Le Parc, expoente da arte contemporânea e um dos pioneiros da arte cinética, que pela primeira vez tem uma obra exposta em Curitiba.

O tempo fechado não impediu que uma fila se formasse em frente ao Museu Oscar Niemeyer no sábado, dia 2 de outubro, quando a mostra foi aberta. As obras interativas do museu foram muito bem recebidas pelo público. Um dos destaques é a instalação da sul-coreana Jeonmong Choi. A artista utiliza o meio antigo de fio de algodão na criação de ambientes luminosos. Choi representa perspectivas geométricas pela luz e convida o espectador a experenciá-las.

“Como próprio de outras manifestações da arte da luz, esta artista elabora ambientes e oferece ao visitante, que não é mais apenas um observador nem um espectador, mas o espectador total, como no caso de obras de tantos dos outros artistas aqui reunidos, isto é, aquele que tem a possibilidade de entrar na obra e dela fazer parte”, explica Teixeira Coelho sobre Jeongmoon Choi.

Também fazem parte da Bienal artistas como Anthony McCall (EUA), Carlo Bernardini (Itália), Dan Flavin (EUA), Eliane Prolik (Brasil), Iván Navarro (Chile), Jeong Moon Choi (Coreia do Sul), Odires Milászho (Brasil) e Xul Solar (Argentina).

Entre os espaços expositivos, estão o Museu Oscar Niemeyer (MON), o Centro Cultural Sistema Fiep, o Museu Municipal de Arte (MuMA), a Catedral Metropolitana de Curitiba, o Espaço Cultural BRDE (Palacete dos Leões), o Pavilhão Antony McCall, o Museu de Arte da UFPR (MusA), o Museu Paranaense, a Galeria APAP, o Museu da Gravura, o Museu da Fotografia, o Memorial de Curitiba, o Museu Guido Viaro, o Museu de Arte Contemporânea do Paraná e o Pátio Batel.

A 22ª Bienal Internacional de Curitiba segue até 6 de dezembro.

Compartilhar: