Artista pendura retrato de Putin na suíte do Hotel Trump – e a pintura ficou lá por um mês

O artista Brian Whiteley alega que pendurou uma pintura do presidente russo Vladimir Putin em uma suíte do Trump International Hotel com vista para a Pennsylvania Avenue – e ninguém notou. Ele diz que expôs a pintura no luxuoso hotel em Washington, DC, como um comentário sobre o “culto ao autoritarismo” em torno dos aliados e apoiadores de Trump. Na grande pintura, Putin se senta, com as mãos cruzadas, colocando em primeiro plano um céu tempestuoso e a própria Casa Branca.

Whitely disse que o trabalho foi inicialmente pendurado em 01 de agosto de 2018, no quarto 435 do hotel, que está localizado a apenas cerca de 15 minutos a pé da Casa Branca.

O artista disse em um email:

“Numerosos convidados tinham ficado lá desde que eu coloquei a pintura e ninguém teve um problema com uma pintura de Vladimir Putin (com a Casa Branca ao fundo) pendurada no Hotel do Presidente … a passos da Casa Branca. Isso tudo me leva a acreditar que os convidados são totalmente dedicados ao presidente, não importa qual política ele abraça. Como muitos disseram, Trump trouxe um culto ao autoritarismo onde ele não pode fazer nada errado, não importa o quanto a transgressão seja flagrante.”

Ele diz que voltou no início do mês para pegar a pintura, dizendo aos funcionários do hotel que ele havia esquecido algo na suíte. “Eles me permitiram o acesso e eu consegui recuperar minha pintura, mas fui removido à força assim que o gerente viu o que eu estava recuperando”, afirma Whiteley.

O hotel, no entanto, diz que a situação é fabricada. Patricia Tang, diretora de vendas e marketing, disse: “Isso nunca aconteceu”.

Um amigo do artista que diz que ele participou do esquema supostamente registrou o quarto sob o seu nome e ajudou com o troca do retrato. Ele diz que, embora inicialmente hesitante em participar, ele cedeu aos pedidos de Whiteley.

A fonte disse que na noite em que eles ficaram no hotel, ele e o artista saíram para beber e trouxeram meia dúzia de partidários de Trump que estavam na capital do país para uma festa de aniversário. Ele diz que eles convidaram o grupo, também hospedado no hotel Trump, para uma saideira debaixo do santuário do político russo. (Ele disse: “Um deles até disse ‘Putin, porra, sim’. Eu fiquei impressionado”).

Ele afirma que algumas semanas após o evento inicial, ele foi novamente convencido a retornar ao hotel para recuperar o retrato:

“Eu acho que [Whiteley] trabalhou mais de 6 meses na pintura, então eu tive alguma simpatia nisso. Então voltamos de novo  … e então a tempestade de merda chegou. Nós entramos no hotel e nós lhes dissemos que nós esquecemos algo em nossa suíte. O porteiro / emburrado nos acompanhou até o quarto, nós entramos e vimos a pintura ainda pendurada, eu fiquei chocado. Eu tentei chamar a atenção do cara conversando com ele, mas eventualmente ele viu Brian puxar a pintura da parede (ela estava pendurada em cima de outra pintura que estava enroscada na parede). O cara pegou seu radio e ligou para a segurança ou gerência e logo eles apareceram. Brian teve que explicar que era a sua pintura e mostrou-lhe a sua identificação e assinatura na parte de trás da pintura. Eles não nos deixaram sair da sala por cerca de 20 minutos até que eles tinham inspecionado a suíte para se certificar de que não tinha feito nenhum dano ou não estavam roubando nada. Meu coração estava batendo o tempo todo. Em seguida, a segurança nos levou para fora do hotel bastante hostil. Foi um espectáculo.”

Compartilhar: