Artista brasileiro recebe um dos prêmios de arte digital mais badalados do mundo

© Divulgação

“Woman without Mandolin” (”Mulher sem bandolim”) é um filme cubista do cineasta e artista multimídia brasileiro, Fabiano Mixo, como resultado de um trabalho híbrido entre artes plásticas e cinema. A produção ganhou recentemente o ”Prêmio do Público” no Lumen Prize, um dos prêmios de arte digital mais badalados do mundo, e é a primeira vez que uma obra brasileira fica entre as vencedoras. Além de ser, ainda, finalista de outro prêmio de arte digital na Austrália – o 7th Screengrab International Media Arts Award – fazendo parte de uma exposição na Pinnacles Gallery, em Townsville, de 18 de dezembro 2015 a 28 de Fevereiro de 2016. O vencedor do prêmio será julgado pela curadora Fiona Trigg, do Australian Centre for the Moving Image, e será anunciado na vernissage de exposição no próximo dia 18. As próximas exibições da obra já estão confirmadas até o fim de 2015 em outros lugares do mundo como Xangai, Egito, Los Angeles e até na Broadway. Em 2016 já tem exibições garantidas em País de Gales, Londres, Park City e em Nova Iorque – na Creative Tech Week.

A obra filmada em 16mm é um portrait da atriz, autora e diretora alemã Miriam Goldschmidt, uma das figuras mais emblemáticas e importantes do cenário internacional de teatro experimental. Goldschmidt fez parte do núcleo da lendária companhia de teatro The International Centre for Theatre Creation, fundada e dirigida pelo diretor de teatro e cinema Peter Brook – frequentemente visto como a referência viva mais importante do teatro contemporâneo – com quem trabalhou durante décadas. Inspirado no quadro “Girl with a Mandolin (Fanny Tellier)” – ”Menina com bandolim” do pintor espanhol Pablo Picasso, o filme faz uma releitura audiovisual do cubismo trazendo reflexões críticas sobre esse contexto de arte ocidental e suas influências de arte africana. A concepção característica do cubismo se dá pelo uso de tecnologia digital através de quatro câmeras posicionadas em ângulos diferentes, captando simultaneamente diversas perspectivas de uma mesma imagem. Em sua quarta edição, o Lumen Prize já é considerado um dos prêmios mais representativos e proeminentes do cenário das artes digitais. Além das exibições, também acontecem oficinas e debates com os artistas ao longo dos encontros em diversos países.

Fabiano Mixo é carioca, tem 28 anos, estudou comunicação na Puc-Rio, artes no EAV Parque Lage e direção cinematográfica na FilmArche em Berlim. Vive e trabalha na Alemanha.

Compartilhar: