Artista boliviana é ameaçada por obra de arte com santa “escandalosa”

Uma obra da artista boliviana Rilda Paco, representando a Virgem de Socavon de Oruro, vestida com uma tanga vermelha e meias coxa-alta, provocou a ira de oficiais bolivianos, que dizem que o escandaloso trabalho “desgraça o patrono da nação” e querem fazer uma ação legal contra a artista. De sua parte, Paco diz que a peça deveria criticar a bebida excessiva, a objetivação das mulheres e o comercialismo associado ao Carnaval de Oruro.

Oficiais bolivianos condenaram a imagem “escandalosa”: eles dizem que desgraça o patrono da nação, que tem sido tema de veneração durante séculos.
A arte está gerando criticas por toda nação e levaram a artista responsável para defender publicamente o seu trabalho.

“Determinamos que é uma afronta para as pessoas de Oruro e grupos religiosos populares”, disse a Secretária Municipal de Culturas de Oruro , German Navia, observando que a virgem foi reverenciada em toda a Bolívia como um elemento básico de sua cultura e lendas.

“Como podemos ofender nosso patrono, é inadmissível ofendê-la desse jeito… Não aceito esse tipo de ofensa com nossa virgem, nossa mãe”, disse o governador Victor Hugo Vásquez , que prometeu “sanção máxima” contra o perpetrador.

A ministra da Cultura Wilma Alanoca anunciou planos para iniciar ações legais: “Um processo criminal será iniciado para obter a sanção que corresponde àqueles que se atreveram a desacreditar nossa mais sagrada virgem do Socavon e a quem pretende destruir o patrimonialismo e a intangibilidade do Carnaval de Oruro”.

A artista por trás da imagem foi rapidamente se defender, insistindo que foi mal interpretada e retirada do contexto.

“Devo lembrar as pessoas que querem iniciar um processo que não estou sozinha, não cometi nenhum crime, não sou uma assassina, não sou violadora, não agredindo ninguém”, disse a artista Rilda Paco à mídia local.

Ela explicou que a peça deveria criticar a bebida excessiva, a devastação e o comercialismo associados ao festival cultural.

Paco também pretendia com a obra, uma crítica à objetivação desenfreada de mulheres que caracterizam tipicamente celebrações de carnaval.

Na imagem, a virgem está escassa e está parada na frente de três personagens de carnaval. O trio está vestido com roupas típicas, dançando e louvando a virgem enquanto segura garrafas de álcool na mão.

“É um protesto”, disse a artista. “A virgem é outra mulher que nos representa e busquei criticar os falsos devotos que usam a virgem a sua conveniência.

“Eu não me desculparia com as pessoas que usam a religião como uma desculpa para se envergarem para cometer excessos, às pessoas que insultam e que querem ser protagonistas desse trabalho. Eu me desculparia com os verdadeiros devotos, com aqueles que fazem o trabalho social em nome da virgem”.

Alguns usuários de redes sociais expressaram seu apoio para Paco. “Vamos rezar pela alma desta sociedade hipócrita que fica louca por ver uma imagem de uma virgem de tanga, mas eles adoram ver milhares de mulheres nuas dançando por “devoção”, escreveu um usuário do Facebook .

 

Compartilhar: