Arte Presente – O Presente é a Realidade

© Divulgação

A primeira edição do evento ARTE PRESENTE focada em Performance recebe a artista carioca Celina Portella para uma conversa informal no dia 23 de maio, a partir das 19h. Celina vai apresentar vídeos de seus trabalhos e falar sobre seu processo de criação, influências e referências.

Com o enorme sucesso da histórica exposição de Marina Abramovic em São Paulo, o evento pega o gancho para tratar o tema da Performance e a relação do público com o artista. Como se dá a troca de energia entre eles? O registro permite trazer para o presente a mesma verdade do momento da performance? As mídias criam novas dimensões, novos tempos, mas o presente é a realidade. Essas e outras questões serão tratadas na conversa.

Celina trabalha a questão do deslocamento do espaço virtual para o plano material e suas interações com o vídeo dão a característica de performance. Suas projeções possuem um caráter dimensional, projetam diversos planos simultâneos, e questionam a nossa percepção do real ao criar uma ilusão. Celina já realizou trabalhos no Museu da Imagem e do Som em São Paulo, no Parque Lage e recentemente no Centro Municipal Hélio Oiticica no Rio de Janeiro. No Espaço Apis vai apresentar “Derrube” e “365 graus”.

A artista barcelonesa Camila Cañeque também estará presente com suas obras e uma instalação no cofre do Espaço Apis. A artista usa o folclore para sinalizar uma crise de identidade. Na Arco 2013 em Madrid foi expulsa por apresentar sua performance final da série “Dead End” no corredor da feira, sem permissão, o que a rendeu ser expulsa e sair em algumas matérias de jornal. Este trabalho estará em exposição junto com “Invitation to Violence” que apresentou no Museu Lázaro Galdiano durante a Arco 2015 e que também estará na mostra “Verbo” na galeria Vermelho em junho deste ano.

A programação musical desta primeira edição fica a cargo do músico cubano Rene Ferrer, sobrinho de Ibrahim Ferrer do Buena Vista Social Club, que apresentará uma mistura de ritmos caribenhos, brasileiros e africanos. Depois, o DJ Rodrigo Correia comanda a pista com um downbeat eletrônico.

Compartilhar: