A Monalisa de bigode de Duchamp vendida por US$ 750 mil

Uma das reproduções de Marcel Duchamp da Monalisa de Leonardo Da Vinci, na qual ele inseriu barba e bigode, foi vendida por € 632.500 (US$ 750.000) na Sotheby’s de Paris.

A obra fazia parte da venda de uma coleção de obras surrealistas pertencentes ao americano Arthur Brandt, com 110 peças vendendo cerca 3,9 milhões de euros, incluindo comissões.

No entanto, algumas peças destacadas, incluindo um trabalho de Francis Picabia, que foi estimado em 700 mil euros, não encontraram um comprador.

A versão de Duchamp de Monalisa foi uma das nove obras leiloadas pelo artista francês, que é visto como o pai da arte conceitual.
As obras de Monalisa são intituladas como LHOOQ, que em francês são as siglas da frase “elle a chaud au cul”, traduzida como “ela é excitada”. Sua estimativa de preço era de 400 a 600 mil euros. Esta versão foi criada em 1964, após a peça original “pré-fabricada” de 1919.

As outras peças de Duchamp oferecidas no leilão incluem “Boite-en-valise” ou “Box in a Suitcase”, que superou sua estimativa de 180 a 250 mil euros, vendendo po 319,500 mil euros. A obra é um museu portátil com 68 dos trabalhos mais famosos do artista, reproduzidos em miniaturas. Sete versões distintas foram feitas em edição limitada entre 1941 e 1966.

Uma pintura do artista suíço Kurt Seligmann, chamada “Buste d’homme”, estimada em 60 a 80 mil euros, foi vendida por 181.250 mil euros, “não muito longe de um recorde mundial para o artista”, segundo Sotheby’s.

Entre as seis peças oferecidas pelo artista e fotógrafo Man Ray, “The Lovers”, um conjunto de lábios gravados em chumbo e depois pintados, acompanhados por uma corda, foram vendidos por 81.250 mil euros, muito acima da estimativa prévia superior de 25 mil euros.

Compartilhar: