A arte de apreciar e colecionar arte desde cedo

© Divulgação

“Liberdade para criar sem rigor, extrapolar convenções para poder ver o mundo, literalmente, de cabeça para baixo”. Essa é uma das propostas do livro “Minha Primeira Coleção”, que acaba de ser lançado no mercado editorial infantil. O livro – de atividades lúdicas e criativas – faz parte de um box também composto por cinco obras encartadas (pôsteres) dos artistas brasileiros contemporâneos Carolina Martinez, Danielle Carcav, Fabrício Lopez, Tatiana Blass e Pedro Varela. Uma ideia inovadora, que pretende despertar o olhar e o gosto das crianças pelas artes visuais.

As atividades desafiam os pequenos a se aventurarem em experiências diferentes, como “desenvolver um olho sensível para observar arte”, “brincar com alto relevo”, “usar o corpo como tela”, “testar novos suportes”, “experimentar um video-arte”, “fazer uma performance” e, por que não “criar o próprio ateliê de arte em casa”?

A organizadora do projeto, a arquiteta Camilla Bloisa conta que a ideia surgiu a partir de um artigo que leu numa revista. “Dizia que se os pais comprarem um vinho por ano para o filho, quando ele completasse dezoito anos, ele teria uma enorme coleção. Então, por que não começar a criar uma pequena coleção de arte para o seu filho e dividir momentos afetivos de criação com ele?” explica. Apaixonada por arte e educação, Camilla trabalhou na Fundação Roberto Marinho e fez um mestrado em gestão de museus na Boston University. Para ela, o grande diferencial do “Minha Primeira Coleção” é criar um vínculo interativo entre os pais e os filhos, através da arte. Incentivar pais e adultos responsáveis para que sejam mentores nas atividades criativas das crianças. Uma das inspirações de Camilla foi observar o hábito dos pais europeus, que levam os filhos com frequência a museus e têm uma vivência gostosa de aprendizado. “A ideia é que a criança também goste de arte porque tem uma ligação afetiva com aquilo, porque criou uma pintura ou teve uma experiência divertida com os pais”. O projeto gráfico é da designer Luiza Chamma, e as ilustrações são de Luiza Chamma e Bruno Medeiros. O conteúdo foi desenvolvido pelo Instituto LER – Educação Literária.

O lançamento do box “Minha Primeira Coleção” foi acompanhado de uma pequena exposição de obras dos artistas do projeto e também de um miniateliê para as crianças pintarem, na Livraria Cultura do Fashion Mall, zona sul do Rio. E fica a dica: “Um lembrete para os pais: O processo de criação deve ser livre, principalmente das expectativas em relação ao resultado final (a obra) produzido pelas crianças. #papo em casa”.

No site do “Minha Primeira Coleção”, as crianças podem encontrar mais atividades de criação. O livro também ganhará uma versão eletrônica em breve.

—–

*Maria Beatriz Mussnich é editora da GloboNews e repórter na área de literatura e artes visuais

Compartilhar: