10ª Bienal do Mercosul altera data de abertura

© Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM)

A 10ª Bienal do Mercosul Mensagens de Uma Nova América alterou a data de abertura da mostra e redefiniu seu período expositivo de 23 de outubro a 6 de dezembro de 2015. A alteração ocorreu devido à logística de importação das obras de arte. Segundo o Curador-Chefe Gaudêncio Fidelis, um exemplo que justifica a necessidade de alterar a abertura da mostra é a dificuldade em relação ao transporte de obras de países que possuem pouca oferta de rotas aéreas e de aeronaves de transporte. Além disso, há alguns com mais dificuldades de movimentação de patrimônio como o México, Bolívia, Equador e Guatemala. “Optamos pela alteração por uma questão de necessidade e coerência, pois caso mantivéssemos a primeira data teríamos que abrir mão de obras de grande significado artístico, cultural e histórico para a proposta da 10ª Bienal do Mercosul”. O período expositivo desta edição da Bienal não sofreu redução e seguirá com 45 dias.

A notícia alimenta os rumores de crise interna na Fundação Bienal do Mercosul e as polêmicas envolvendo esta edição, que tiveram início já com a seleção de Gaudêncio Fidelis para chefiar a curadoria. Reconhecido e respeitado, Fidelis é visto como tradicional, o que vai de encontro ao que até hoje foi o diferencial desta Bienal: a apresentação de arte inovadora e a presença de jovens artistas pouco conhecidos no Brasil. A desconfiança foi se confirmando com a divulgação dos planos para se incluir pintura acadêmica e icônes religiosos e se solidificou com a apresentação da lista de 402 artistas, que surpreendeu não apenas pelo número mas também pelo conteúdo, que inclui nomes tradicionais como Vicente do Rego Monteiro, cuja obra ilustra esta notícia.

Resta ao público esperar ansioso pela abertura, torcendo para que as mudanças não tirem o brilho do maior evento de arte do sul do país.

Compartilhar: