O maior escândalo da arte

"Venus" Lucas Cranach Foto: Divulgação

Esta semana um juiz lançou uma investigação sobre uma série de pinturas dos velhos mestres, supostamente de artistas como Frans Hals, Lucas Cranach, e Orazio Gentileschi, depois de os especialistas identificaram as obras como potenciais falsificações.

No total, até 25 pinturas são suspeitas de serem falsificações; juntas, elas valem $ 255 milhões. No início desta semana, o negociante de arte de renome internacional Bob Haboldt chamou a investigação de “maior escândalo da arte em um século.”

Em um outro caso, a Sotheby’s foi forçada a tomar de volta um adicional de £ 8,4 milhões

de uma tela de ‘Frans Hals’ e o The Mail on Sunday entende que a casa de leilões está agora perseguindo o negociante de Londres, que forneceu a pintura.
Os especialistas estão particularmente preocupados porque as alegadas falsificações são muito difíceis de detectar.
No início deste ano, o príncipe de Liechtenstein teve uma pintura apreendida pelas autoridades francesas em meio a uma suspeita de que era uma falsificação.

O escândalo começou a tomar forma no início deste ano quando uma pintura do mestre alemão renascentista Lucas Cranach (Foto) e de propriedade do príncipe de Liechtenstein foi apreendido pelas autoridades em uma exposição no sul da França.
Venus, datada de 1531, foi vendida pela Galeria Colnaghi em Londres em 2013 para o príncipe por £ 6 milhões, mas agora encontra-se em exame pelos peritos no Museu do Louvre para avaliar a sua autenticidade.

Compartilhar: