Natureza morta na Galeria Marcelo Guarnieri

A mostra coletiva irá explorar os aspectos encontrados na produção de seis artistas que tratam do gênero Natureza-morta. A mostra não se trata de um compêndio de artistas que trabalham ou trabalharam com o tema, mas um recorte específico dentro da produção de Ana Sario, Eleonore Koch, Flávia Ribeiro, Gabriela Machado, Iberê Camargo e Masao Yamamoto.

Através da interseção de práticas diversas – pintura, desenho, escultura e fotografia, é exibido alguns caminhos e interpretações a partir da tradição pictórica.

A exposição se inicia com Iberê Camargo (1914 – Restinga Seca, RS, Brasil / 1994 – Porto Alegre, RS, Brasil) e seu interesse por objetos prosaicos – carretéis e dados – que aparecem nas obras do artista como o elemento central, tudo gira em torno dessa busca em esgotar a imagem, de trazer para o plano a memória de infância e dar aos objetos um previlégio de existência. No mesmo sentido, Eleonore Koch (1926 – Berlim, Alemanha) toma como assunto prosaicas estruturas contemplativas – vasos, flores, mesas, cadeiras – a artista sacraliza tais narrativas, com bem coloca Theon Spanudis em correspondência com a artista: “(…) Eleonore sacraliza os objetos de uso diário. Contra a nossa mania profana de usar tudo como objeto de imediato consumo, ela reganha para o simples objeto sua dimensão sacral. Os amplos espaços sensíveis (que não são os espaços vazios e mortos dos matemáticos e cientistas), fazem parte integral de sua intenção de ressacralizar o objeto perdido no fluxo constante do consumo mecânico. Uma secreta poesia emana dos seus coloridos, objetos, configurações estranhas e seus espaços amplos e humanos.”

Flávia Ribeiro (1954 – São Paulo, Brasil) apresenta esculturas da série “Campos de acontecimentos e aproximações”, onde objetos de madeira e de bronze banhados a ouro são dispostos em cima de mesas de gesso. Uma composição onde a ordenação se dá pelos conjuntos de materiais com pesos, formas e funções díspares, todo o conjunto se aproxima de um desenho concebido no espaço, quase como um campo lunar.

Ana Sario (1984 – São Paulo, Brasil) exibe uma série de pequenas pinturas a óleo produzidas nos últimos meses, a escala diminuta do trabalho aproxima o espectador da imagem. A artista retrata com pincela espessa um universo prosaico e interiorano – pato, árvore, varal, casa – há um embate entre a cena retratada e a matéria densa da tinta. As pinturas se apresentam como frames de uma cena panorâmica.

Gabriela Machado (1960 – Joinville, SC, Brasil) tem realizado nos últimos anos esculturas em porcelana que, paralelo a produção pictórica, tem colocado seu interesse pela natureza em outros materiais e formas de execução. Também é exibido uma série de colagens em que diversos tipos de papéis são sobrepostos a recortes de jornais e revistas que, por fim, ganham pinceladas de tinta acrílica e jatos de spray coloridos, dando vivacidade aos trabalhos.

Masao Yamamoto (1957 – Gamagori, Japão) tanto na série “A Box of Ku” quanto “Nakazora”, o ordinário sempre se revela como algo de extrema importância e a partir de um olhar não ocidental que é captado pelo artista numa atmosfera cotidiana que normalmente escapa a todos. Suas imagens são expostas as ações externas, em muitos casos o artista carrega em seu bolso as pequenas fotografias, com esse deslocamento o papel fotográfico sofre alterações: manchas, rasgos e vincos. As imagens têm seu tempo dilatado, um álbum construído com personagens e cenas de uma memória coletiva e em envelhecimento provocado.

Compartilhar:
Notas - 25/09/2015

Exposição CRU terá performance inédita dia 03 de outubro

Entre 11h e 19h do dia 3 de outubro, a performance reunirá um grupo de pessoas cozinhando dentro de uma …

Notas - 04/09/2015

Associação Chico Lisboa inaugura a primeira exposição da Bienal C em Porto Alegre

A Associação Riograndense de Artes Plásticas Francisco Lisboa inaugura na terça-feira, 15 de setembro, às 19h, nos espaços expositivos do …

Notas - 01/12/2015

A obra de arte contemporânea é apenas a ponta quebrada do lápis

Uma das maiores dificuldades da arte contemporânea é que, muitas vezes, o que é exposto é apenas um registro ou …

Notícias - 01/06/2017

Grafiteiros brasileiros completam a maior pintura já feita na Síria

No final do mês de abril, os grafiteiros curitibanos Rimon Guimarães e Zéh Palito desembarcaram na Síria para levar arte …

Notícias - 27/04/2017

Redemoinho surreal e psicodélico: Conheça a tela de 22 metros do artista alemão Jonas Burgert

Dentro do estúdio de Jonas Burgert, no subúrbio berlinense de Weissensee, uma enorme pintura está se finalizando. Numa panorâmica de …

Notícias - 23/11/2017

Parte final de pintura de Magritte é descoberta depois de 85 anos

Oitenta e cinco anos depois de desaparecer, uma pintura perdida do artista surrealista René Magritte foi encontrada – em pedaços.

Na última semana, o Royal Museums …

Notas - 22/02/2016

Photothings, fotografias ao ar livre

A Unibes Cultural promove no dia 5 de março de 2016, sábado, das 12 às 20 horas, o Pátio Cidade, …

Notas - 10/06/2015

Lançamento do catálogo da exposição "Uma escultura na sala" de Eduardo Coimbra

O artista Eduardo Coimbra lança, quarta-feira, 17 de junho, às 19h, o catálogo de sua individual “Uma escultura na sala”, …

Notícias - 06/11/2018

FAMA inaugura três salas e expande a mostra O tridimensional na coleção Marcos Amaro

Disseminar a arte contemporânea brasileira é um dos pilares que regem a Fundação Marcos Amaro (FMA), instituição sediada na Fábrica …

Notícias - 19/02/2016

Berna Reale denuncia agressão sofrida em centro de perícias de Belém

Berna Reale, artista paraense conhecida por trabalhos que lidam com a violência, denunciou agressões sofridas no Centro de Criminalística de …

Notícias - 22/06/2017

Um desfile de obras estelares no leilão do Século 20 na Phillips

A Phillips prepara sua noite do “Século 20 e Arte Contemporânea” de junho que vai reunir um amplo espectro de …

Notícias - 04/10/2018

Bilionário russo, dono de Salvator Mundi e Nu de Modigliani, processa a Sotheby's em US$ 380 milhões

A contínua e violenta batalha entre o bilionário russo de fertilizantes Dmitry Rybolovlev e Yves Bouvier, um comerciante de arte …