© Dasartes

O concreto da arquitetura modernista do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro foi um cenário contrastante para a fantasia lúdica da performance Incorporáveis, de Maria Lynch. Tão surreais e fantasiosas eram as figuras coloridas de Lynch que a plateia, que ia de jovens colecionadores e artistas a curadores, passando pelas figuras carimbadas do mundo da arte, ficou quase suspensa.

Em clima de descontração e confraternização, foi lançado o Anuário Dasartes 2012 e a parceria da revista com a feira Art Rio. Se em um espaço todos podiam se impressionar com as fotos escuras de Nan Goldin, ao redor dos Incorporáveis tudo era brilho e leveza, aumentados pela alegria com quem todos recebiam as novidades que a efervescência atual da arte brasileira tem proporcionado, devidamente registradas no Anuário.

Compartilhar: