© Lucas Mandacaru

No mês de junho, as ruas – e os céus – de Heliópolis, cidade da periferia de São Paulo, ficaram um pouco mais coloridas. O projeto Cortejo das Vidas Preciosas levou centenas de crianças e adolescentes da comunidade a uma lúdica intervenção artística: segurando balões nas cores das pedras preciosas que dão nome aos CCAs (Centro da Criança e do Adolescente) dos quais participam, a caminhada foi encerrada tingindo os céus de diversas cores. Durante o cortejo, frases elaboradas pelos educandos, fixadas em suas camisetas, foram lidas ao megafone. Ao final, no Polo Cultural de Heliópolis, foi formado um “bandeirão” hexagonal com a cor de cada Centro, simbolizando a experiência coletiva como uma nova forma de sobrevivência. O evento foi realizado espontaneamente pela comunidade, inspirado pelo projeto de arte pública e performance urbana Espetáculo da Terra, criado pela artista Denise Milan em parceria com uma equipe de “arte-educadoras” e realização do SESC-SP. Há quatro anos, o projeto tem como eixo a interação de alunos, famílias e líderes de comunidades com as propostas artísticas de Denise. Nascida em São Paulo, a artista exerce seu trabalho em áreas como fotocolagem, escultura e performance, usando a pedra como eixo criativo. Expôs suas obras em diversas instituições do mundo e, em setembro, inaugura sua oitava obra pública, uma mandala de pedra, na cidade de Assis, na Itália. Ativista e líder do movimento pela Arte Pública, o fato de o cortejo em Heliópolis ter sido uma manifestação espontânea em resposta às ações desenvolvidas, segundo a artista, “é o sinal da relevância e ressonância da proposta de arte-educação que nós criamos. Ao reagir espontaneamente, Heliópolis mostra que já houve uma reflexão e está pronta para outros desafios. Esse cortejo representa o desfecho do trabalho feito com os jovens e mostra a transformação ocorrida em suas vidas”.

Compartilhar: