© Divulgação

DASARTES 34 /

SP Arte internacional

SP Arte menos eufórica e mais internacional.

Com 58 galerias estrangeiras entre os 136 expositores, a SP Arte teve em abril sua maior e mais internacional edição. Arte estrangeira invadiu também os estandes das galerias brasileiras, como a lâmpada de Olafur Eliason, na Galeria Bergamin, e a escultura cinética de Julio Le Parc, na Nara Roesler, esta última vendida por R$ 2,1 milhões.

A diversão do público ficou por conta de obras espetaculares, como um raro óleo de Tarsila do Amaral, na galeria Almeida e Dale, estimado em R$ 17 milhões, ou a banca de sorvete com seis sabores em tons de cinza, criação do artista João Loureiro, da Vermelho. A intervenção de Regina Silveira para a Rolls Royce foi outra das obras mais comentadas, além dos projetos de Traplev e Carolina Vieira para o Laboratório Curatorial e a seção Solo, com curadoria de Rodrigo Moura.

Nas galerias nacionais, as vendas foram mais lentas que no ano passado, mas eram oferecidas peças de valor maior. Já as internacionais comemoraram bons negócios, prova de que as coleções brasileiras estão cada vez mais globalizadas. Entre colecionadores de arte moderna, os preços altos e a insegurança gerada pelo novo decreto de tombamento de obras de arte privadas esfriou o ímpeto das compras.

Em um calendário de feira concorrido e com poucas novidades, a SP Arte se diferencia também pelo circuito de incríveis visitas a coleções particulares, eventos paralelos e ótimas baladas pós-feira. Foi o caso de Eduardo Leme, que expôs sua coleção em um espaço de concreto parecido com um pequeno museu, e da festa de abertura da exposição de Rosana Ricalde, na Emma Thomas, que animou boa parte dos players do mercado até altas horas.

Compartilhar:

Confira outras matérias

Matéria de capa

Alphonse Mucha

Alphonse Mucha é hoje um dos artistas tchecos mais famosos do mundo. Nascido em 1860 na região da Morávia, ganhou …

Destaque

Rosana Paulino: a costura da memória

Voz singular em sua geração, Rosana Paulino surgiu no cenário artístico paulista em meados dos anos 1990, propondo, de modo …

Do mundo

Anni Albers

Anni Albers começou seus estudos na Escola Bauhaus em Weimar em 1922. Apesar de seu desejo inicial de ser pintora, …

Reflexo

Vinicius SA por ele mesmo

O pensamento científico me influencia pela racionalidade, pelo cálculo e pela possibilidade de antever meus projetos. A prática artesanal é …

Garimpo

Marcel Diogo

A escolha dos leitores da Dasartes para o concurso Garimpo Online 2018/2019 é Marcel Diogo, somando a votação no site …

Resenhas

Resenhas

Intempéries permanentes e Ultramar
Referência Galeria de Arte
Intempéries permanentes – visitação até 23 de fevereiro
Ultramar – visitação até 26 de janeiro
POR …

Destaque

Jean-Michel Basquiat na Fundação Louis Vuitton

Inquebrável

Parece que palavras “tour de force” foram criadas para a exposição épica de Jean-Michel Basquiat na Louis Vuitton Foundation. A …

Matéria de capa

Andy Warhol: de A para B e vice-versa

“Eles não queriam meu produto. Ficavam dizendo ‘queremos sua aura’. Nunca entendi o que queriam.” – Andy Warhol
Esse trecho tirado …

Flashback

Constantin Brancusi

Constantin Brancusi (1876-1957) exibiu pela primeira vez sua escultura em Nova York, no Armory Show de 1913, ao lado de …

Do mundo

Jaume Plensa

“A escultura é a melhor maneira de fazer uma pergunta.” Jaume Plensa

“Firenze II”, de 1992, é um enorme ponto de interrogação …

Destaque

A vizinhança de Lucia Laguna

As pinturas de Lucia Laguna são inseparáveis do local onde foram feitas: o ateliê-casa da artista e os arredores do …

Garimpo

Gunga Guerra

Nascido em Moçambique e radicado no Rio de Janeiro, Gunga Guerra é a escolha do conselho editorial da Dasartes para …

Resenhas

Resenhas

Amsterdam Art Week
Museus e Galerias • Amsterdã • Países Baixos • 22 a 25/11/2018
POR SYLVIA CAROLINNE

Diversas foram as aberturas ao …

Matéria de capa

Os contos cruéis de Paula Rego

 

“Os contos cruéis”, de Paula Rego, exposição inaugurada em outubro no Museu  L’Orangerie, em Paris, marca um momento importante na …

Flashback

Pieter Bruegel, o velho

Bruegel é um moralista ou fatalista? Otimista ou cínico? Humorista ou um filósofo? Camponês ou habitante da cidade? Folclorista ou …