Residência artística: Novos ares para novas ideias.

© Ligia Affonso

Ligia Affonso em residência curatorial em Lisboa

No seguimento de algumas experiências, acadêmicas e expositivas, de reflexão museológica e curatorial, fui convidada pelo British Council a participar do evento London / Liverpool Visual Art Curators Showcase 08, integrando um grupo europeu de jovens curadores, críticos e historiadores de arte, cientistas e gestores culturais, com os quais operei uma partilha de modos de pensar e fazer a contemporaneidade. A oportunidade de ensaiar as novas ideias não tardou e, em resposta a uma provocação da Plataforma Revólver, em Lisboa, propus comissariar a exposição A Escolha da Crítica, problematizando e desafiando as fronteiras entre a prática da crítica e a prática curatorial ou os espaços institucionais e os espaços independentes. A exposição foi desenvolvida com o apoio financeiro da Fundação Calouste Gulbenkian e logístico da Associação Zé dos Bois, também em Lisboa, lugar transdisciplinar onde me encontrava em residência com um grupo heterogêneo de quinze criadores, entre os quais alguns dos artistas plásticos que integravam a mostra. Foi nesse lugar, e a partir da experiência como único elemento teórico do grupo, em um quotidiano preenchido por longuíssimas conversas, apresentações e discussões informais, que estreitei relações intelectuais e afetivas que agora considero profundas e profissionalmente consequentes. Estou, por exemplo, desenvolvendo com a dupla Sara & André um projeto específico para a JustMad, a mais nova feira de arte contemporânea de Madri, ao mesmo tempo que sou responsável por uma investigação historiográfica do Serviço de Belas Artes da Fundação Calouste Gulbenkian.

 

Compartilhar: