DASARTES 33 /

Mauríco Ianês

A obra que conquistou o colunista Simon Watson.

A mais arrebatadora obra de arte que vi na última Art Basel Miami foi uma instalação dividida em seis partes, intitulada Deletrear lição #1: ideologia / Spelling lesson #1: ideology, de Maurício Ianês, no estande da Galeria Vermelho. Composto por uma série de bandeiras monocromáticas, em preto-e-branco, o trabalho foi criado pela abstração da bandeira nacional brasileira em suas partes componentes – versões monocromáticas do campo verde com um grande diamante amarelo incorporando um disco azul com faixa e estrelas brancas e as palavras “Ordem e Progresso”. Era um dramático e eloquente trabalho, que chamou muita atenção. Feito em uma edição de três, o trabalho foi vendido. Um deles para um proeminente colecionador de trabalhos neoconcretos que não tinha qualquer informação anterior sobre Ianês, mas foi simplesmente e diretamente tocado pela beleza do trabalho e seus ecos históricos.

Ianês, que nasceu em Santos, em 1973, e agora vive em São Paulo, não faz sempre trabalhos colecionáveis ou acessíveis, já que foca bastante o aspecto performativo da arte. Na verdade, o conceito de Deletrear lição #1: ideologia começou com uma performance desconstrutiva, delicadamente política, para o espaço de arte contemporânea do Kunsthalle Düsseldorf, na qual a palavra “progresso”, escrita em areia negra no chão, era lentamente desgastada e apagada enquanto os espectadores caminhavam por cima da obra.

Os preços dos trabalhos de Maurício Ianês vão de US$ 3.000, para obras como as da série de 1999 feitas com fita isolante preta 12 poemas de Paul Celan e atingem o valor de US$ 15.000 .

O artista tem feito exposições pelo Brasil e internacionalmente e é representado pela Galeria Vermelho, em São Paulo, e pela Y Gallery, em Nova York.

Compartilhar:

Confira outras matérias

Matéria de capa

Alphonse Mucha

Alphonse Mucha é hoje um dos artistas tchecos mais famosos do mundo. Nascido em 1860 na região da Morávia, ganhou …

Destaque

Rosana Paulino: a costura da memória

Voz singular em sua geração, Rosana Paulino surgiu no cenário artístico paulista em meados dos anos 1990, propondo, de modo …

Do mundo

Anni Albers

Anni Albers começou seus estudos na Escola Bauhaus em Weimar em 1922. Apesar de seu desejo inicial de ser pintora, …

Reflexo

Vinicius SA por ele mesmo

O pensamento científico me influencia pela racionalidade, pelo cálculo e pela possibilidade de antever meus projetos. A prática artesanal é …

Garimpo

Marcel Diogo

A escolha dos leitores da Dasartes para o concurso Garimpo Online 2018/2019 é Marcel Diogo, somando a votação no site …

Resenhas

Resenhas

Intempéries permanentes e Ultramar
Referência Galeria de Arte
Intempéries permanentes – visitação até 23 de fevereiro
Ultramar – visitação até 26 de janeiro
POR …

Destaque

Jean-Michel Basquiat na Fundação Louis Vuitton

Inquebrável

Parece que palavras “tour de force” foram criadas para a exposição épica de Jean-Michel Basquiat na Louis Vuitton Foundation. A …

Matéria de capa

Andy Warhol: de A para B e vice-versa

“Eles não queriam meu produto. Ficavam dizendo ‘queremos sua aura’. Nunca entendi o que queriam.” – Andy Warhol
Esse trecho tirado …

Flashback

Constantin Brancusi

Constantin Brancusi (1876-1957) exibiu pela primeira vez sua escultura em Nova York, no Armory Show de 1913, ao lado de …

Do mundo

Jaume Plensa

“A escultura é a melhor maneira de fazer uma pergunta.” Jaume Plensa

“Firenze II”, de 1992, é um enorme ponto de interrogação …

Destaque

A vizinhança de Lucia Laguna

As pinturas de Lucia Laguna são inseparáveis do local onde foram feitas: o ateliê-casa da artista e os arredores do …

Garimpo

Gunga Guerra

Nascido em Moçambique e radicado no Rio de Janeiro, Gunga Guerra é a escolha do conselho editorial da Dasartes para …

Resenhas

Resenhas

Amsterdam Art Week
Museus e Galerias • Amsterdã • Países Baixos • 22 a 25/11/2018
POR SYLVIA CAROLINNE

Diversas foram as aberturas ao …

Matéria de capa

Os contos cruéis de Paula Rego

 

“Os contos cruéis”, de Paula Rego, exposição inaugurada em outubro no Museu  L’Orangerie, em Paris, marca um momento importante na …

Flashback

Pieter Bruegel, o velho

Bruegel é um moralista ou fatalista? Otimista ou cínico? Humorista ou um filósofo? Camponês ou habitante da cidade? Folclorista ou …