© divulgação

A pintura acima tem origem no desenho de observação, quando o artista plástico gaúcho Guilherme Dable faz recortes da arquitetura das ruas e os reconfigura no atelier com carvão e tinta acrílica sobre tela, projeto em curso desde 2008. O perfil de um prédio, a linha do horizonte, fragmentos da cidade são combinados, uns aos outros, em diferentes escalas, como num quebra-cabeça, ganhando uma espécie de “equilíbrio precário”. As cores fortes em meio ao predomínio do branco e do preto só recentemente começaram a ser incorporadas ao trabalho de Dable, que antes pintava quase exclusivamente em PB.

Bacharel em Artes Visuais com habilitação em desenho pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Guilherme Dable é cofundador do Ateliê Subterrâneo e professor de Processo Criativo na Escola de Criação ESPM (ambos em Porto Alegre). Paralelamente, desenvolve o projeto visual/musical Tacet, performance que consiste, grosso modo, em criar desenhos a partir de sua interação com os instrumentos, e que foi selecionado para o Rumos Artes Visuais 2011/2013.

Atualmente, participa da exposição [des]equilíbrios e [im]perfeições, na galeria Coleção de Arte (RJ) até 18 de janeiro, e da mostra Maisimerso, no Espaço Cultural ESPM, Porto Alegre, até 9 de dezembro. Para entrar em contato com o artista escreva para guilherme.dable@gmail.com.

Legenda da imagem
Guilherme Dable, Sem Título, 2011

 

Compartilhar: