© DDakic_El Dorado

Os vídeos de Danica Dakić começam com um encontro ou uma imagem que ela segue como uma trilha. Ela mantém então os processos abertos permitindo que os participantes improvisem, dirigindo-os de uma maneira delicada. Do set de filmagem para a sala de edição, o deslocamento e a transformação são noções centrais. Na sua curta estadia em São Paulo, ela realizou produziu dois filmes com esse método de trabalho.

O primeiro filme partiu do encontro com Roger Avanzi, último representante de uma família circense de cinco gerações, e mais conhecido como o palhaço Picolino. A maquiagem que o Roger coloca se torna uma máscara que outros podem usar e que, ao invésem vez de esconder a face, multiplica as identidades. O segundo filme, Céu, nasceu de uma visita ao Colégio Santa Inês, escola tradicional do Bom Retiro, caracterizada pela sua delicada arquitetura art nouveau. No trabalho de Dakić, a escola deixa de ser um espaço de formação e passa a existir como espaço de experimentação, ponto de partida de uma viagem por outros tempos e universos onde “o céu” não é mais um conceito abstrato mais um lugar de ação. Entre sonhos e traumas, realidade e ficção, Dakić cria espaços de imaginação, permeáveis à transformação.

Compartilhar: