DASARTES 23 /

ArtRio

Além de uma feira.

Como primeira feira internacional de arte contemporânea do Rio de Janeiro, a ArtRio já se consolidou em sua edição de estreia em 2011, superando as expectativas de público e vendas.
Agora ela parte buscando novos terrenos e quer se firmar também como um símbolo da arte no Rio de Janeiro e gatilho detonador de um movimento que propõe que a arte está em tudo.

Sob o mote O Rio é arte. O tempo todo. Em toda parte, a cidade – que há pouco tempo foi elevada ao status de patrimônio cultural da humanidade – recebe uma série de ações e eventos
promovidos pela ArtRio, que assim quer se tornar figurinha cativa de seu calendário artístico e
cultural. “Queremos solidificar a posição do Rio de Janeiro entre as cidades mais criativas do mundo, um seleto grupo onde hoje figuram Berlim, Nova Iorque, Barcelona e Londres como os principais destinos”, aponta Luiz Calainho, realizador da feira ao lado de Brenda Valansi,
Elisangela Valadares e Alexandre Accioly.

A primeira dessas ações foi o lançamento do portal bilíngue www.artrio.art.br, que reúne informações sobre o mercado de arte no Brasil e no mundo, além de agenda sobre as principais exposições e eventos no país. O site também convidou personalidades – de Vik Muniz ao prefeito Eduardo Paes – a propor circuitos para explorar a arte na cidade, alguns já manjados e outros com agradáveis surpresas.

Em julho, houve o lançamento da webradio ArtRio Sonora em um concerto da Orquestra Sinfônica Brasileira sob a batuta de Roberto Minczuk, no Theatro Municipal, que surpreendeu a
plateia abrindo o programa com uma sinfonia silenciosa de John Cage. Hospedada no portal, a
webradio tem curadoria de Franz Manata, Saulo Laudares e Bruno Queiroz, e traz programas de
arte sonora permeados por faixas que são comentadas e contextualizadas, sempre precedidas de apresentações bastante didáticas dos artistas e das obras.

Muitas outras ações e eventos estão previstos pela organização da ArtRio, mas os fanáticos por arte querem mesmo é saber da feira, que se prepara para abrir as portas no dia 12 de setembro ocupando quatro galpões do Píer Mauá, o dobro do ano passado. Serão 120 galerias – das quais 60 são internacionais – e um público estimado de 60 mil visitantes. E ainda quatro restaurantes, uma rica programação cultural e uma área de convivência com livraria e lojas de design, onde serão realizados pocket shows e performances. Está confirmado novamente o Solo Projects, com obras de dez artistas renomados de diferentes países, sob curadoria de Julieta Gonzalez e Pablo Leon de La Barra.

Com o sucesso do primeiro ano, e como resultado de um trabalho intenso de relacionamento e divulgação liderado por Brenda e Elisângela, a organização recebeu um número surpreendente de candidaturas de galerias do mundo todo. O resultado é uma feira mais seletiva, que promete também ser uma exposição de arte internacional como o Rio de Janeiro e, quem sabe, o Brasil nunca viu. Como revista oficial da ArtRio, a Dasartes conferirá tudo de parte e trará as notícias da feira em sua próxima edição.

Compartilhar:

Confira outras matérias

Destaque, materia, yves klein

Yves Klein - Cronologia

CRONOLOGIA

1928 – Nasce em Nice, filho de um casal de artistas.
1947 – Inicia seus estudos do Judô e, no Clube …

Destaque, materias

57ª Bienal de Veneza

Viva Arte Viva

A 57ª Bienal de Arte de Veneza intitulada “Viva Arte Viva” inaugurou no início do mês de maio, …

Piti Tomé

O trabalho de Piti Tomé gira em torno da fotografia e da experimentação com a imagem. Sua pesquisa tangencia questões da psicanálise e trata …

Felipe Barbosa

Em junho e julho, o Brasil respirará o maior evento mundial de futebol: a Copa. Independentemente de questões políticas ou …

Bruno Miguel

A pesquisa sobre o espaço da pintura de paisagem na arte contemporânea e a expansão do campo pictórico tem sido o …