© Divulgação Phillips

DASARTES 37 /

ARTISTA EM FOCO – –VIK MUNIZ

Artista em Foco por Simon Watson.

Vik Muniz é um artista brasileiro com grande presença internacional. Suas fotografias com referências na história da arte e na cultura popular – baseadas em métodos de colagem intrincados nos quais tudo já foi usado para criar imagens, de chocolate e açúcar até lixo e páginas de revista – foram vistas em mais de dez exposições individuais no ano passado em locais tão distantes quanto Arles, França; Lima, Peru; Nova Iorque EUA; Shanghai, China; Tel Aviv, Israel; e Tóquio, Japão.

Muniz é privilegiado com uma posição de popularidade artística que tem apelo tanto ao público em geral quanto aos iniciados em arte. Em uma visita ao ateliê dele no ano passado, ele me contou sobre uma corrida de táxi em que o condutor lhe perguntou sobre sua profissão. Quando disse que era artista, o motorista respondeu que não entendia nada de arte e Muniz apostou o valor da corrida que ele conhecia seu trabalho. Aceita a aposta, o artista explicou que havia feito os retratos dos atores da abertura da telenovela Passione. O motorista caiu na gargalhada e concordou que Vik havia vencido a aposta.

Com esse tipo de aproximação atravessada, Muniz é um verdadeiro artista pop. Seu trabalho tem sucesso comercial e aclamação da crítica, e é exibido no mundo inteiro. Sua exposição individual no MAM-RJ foi a mais visitada até então, perdendo apenas para Picasso. Nesta mostra, Muniz apresentou pela primeira vez sua legendária série de Pictures of garbage (Fotos de lixo) no Brasil.

Tanto em mostras em galerias quanto em leilões internacionais, o trabalho de Muniz vende bem e tem obtido êxito no mercado secundário. Trabalhos de suas séries de chocolate, lixo ou diamantes têm ido bem nos leilões. Recentemente, no leilão de arte latino-americana da Phillips, a obra Brigitte Bardot (from Pictures of Diamonds) foi vendida por US$ 93.750, bem acima da estimativa de US$ 80 mil.

Nascido em São Paulo, e atualmente vivendo e trabalhando entre seus ateliês no Rio de Janeiro e em Nova Iorque, Vik Muniz é representado pela Galeria Nara Roesler em São Paulo e no Rio de Janeiro e Sikkema Jenkins & Co., em Nova Iorque, além de seis outras galerias internacionais. Seu trabalho tem sido adquirido por muitas instituições públicas, incluindo o MoMA (Museu de Arte Moderna de Nova Iorque); o The Art Institute of Chicago; Daros Latin America, Zurich; Fondation Cartier pour l’Art Contemporain, Paris; The Solomon R. Guggenheim Museum, Nova Iorque; The Metropolitan Museum of Art, Nova Iorque; The Tate Gallery, Londres; The Walker Art Center, Minneapolis; e o Whitney Museum of American Art, Nova Iorque.

Compartilhar:

Confira outras matérias

Matéria de capa

Alphonse Mucha

Alphonse Mucha é hoje um dos artistas tchecos mais famosos do mundo. Nascido em 1860 na região da Morávia, ganhou …

Destaque

Rosana Paulino: a costura da memória

Voz singular em sua geração, Rosana Paulino surgiu no cenário artístico paulista em meados dos anos 1990, propondo, de modo …

Do mundo

Anni Albers

Anni Albers começou seus estudos na Escola Bauhaus em Weimar em 1922. Apesar de seu desejo inicial de ser pintora, …

Reflexo

Vinicius SA por ele mesmo

O pensamento científico me influencia pela racionalidade, pelo cálculo e pela possibilidade de antever meus projetos. A prática artesanal é …

Garimpo

Marcel Diogo

A escolha dos leitores da Dasartes para o concurso Garimpo Online 2018/2019 é Marcel Diogo, somando a votação no site …

Resenhas

Resenhas

Intempéries permanentes e Ultramar
Referência Galeria de Arte
Intempéries permanentes – visitação até 23 de fevereiro
Ultramar – visitação até 26 de janeiro
POR …

Destaque

Jean-Michel Basquiat na Fundação Louis Vuitton

Inquebrável

Parece que palavras “tour de force” foram criadas para a exposição épica de Jean-Michel Basquiat na Louis Vuitton Foundation. A …

Matéria de capa

Andy Warhol: de A para B e vice-versa

“Eles não queriam meu produto. Ficavam dizendo ‘queremos sua aura’. Nunca entendi o que queriam.” – Andy Warhol
Esse trecho tirado …

Flashback

Constantin Brancusi

Constantin Brancusi (1876-1957) exibiu pela primeira vez sua escultura em Nova York, no Armory Show de 1913, ao lado de …

Do mundo

Jaume Plensa

“A escultura é a melhor maneira de fazer uma pergunta.” Jaume Plensa

“Firenze II”, de 1992, é um enorme ponto de interrogação …

Destaque

A vizinhança de Lucia Laguna

As pinturas de Lucia Laguna são inseparáveis do local onde foram feitas: o ateliê-casa da artista e os arredores do …

Garimpo

Gunga Guerra

Nascido em Moçambique e radicado no Rio de Janeiro, Gunga Guerra é a escolha do conselho editorial da Dasartes para …

Resenhas

Resenhas

Amsterdam Art Week
Museus e Galerias • Amsterdã • Países Baixos • 22 a 25/11/2018
POR SYLVIA CAROLINNE

Diversas foram as aberturas ao …

Matéria de capa

Os contos cruéis de Paula Rego

 

“Os contos cruéis”, de Paula Rego, exposição inaugurada em outubro no Museu  L’Orangerie, em Paris, marca um momento importante na …

Flashback

Pieter Bruegel, o velho

Bruegel é um moralista ou fatalista? Otimista ou cínico? Humorista ou um filósofo? Camponês ou habitante da cidade? Folclorista ou …