© divulgação

Formatos diferentes, novos ângulos e traçados inusitados são os desafios cotidianos desses verdadeiros artistas quando o assunto é o design de sapatos. Inspirados em grandes nomes das artes como Miró, Mondrian e Keith Haring, ou na natureza e em situações do dia a dia, os designers César Swains, Nicholas Kirkwood e Kobi Levi conseguiram, com seus trabalhos peculiares, elevar a tarefa mundana de criar um sapato à altura das artes. Os sapatos que nascem dos traços desses artistas podem ocupar tanto as prateleiras de lojas de calçados quanto as de galerias de arte, seja pela estética ou por seus conceitos, tranformando os sapatos femininos em verdadeiras obras de arte.

Miró e Mondrian por César Swains
A grife brasileira Swains lançou para o Verão 2012 uma linha de sapatos e bolsas com inspiração no traçado de Miró. O diretor criativo da linha feminina e sócio da marca, César Coelho, é artista plástico e valeu-se dessa formação para criar a nova linha da Swains. A inspiração não é exatamente uma novidade: a grife já lançou um calçado que homenageava outro artista importante, o holandês Mondrian. “Há alguns anos, aconteceu uma retrospectiva do trabalho de Mondrian em Nova York, e eu fui com uma amiga visitar a exposição. Ela estava usando o sapato que eu desenhara inspirado no trabalho dele. Pude notar que as pessoas se cutucavam e olhavam para os pés dela, para os sapatos que eu havia criado, e me senti bastante orgulhoso”, conta César Coelho.

Keith Haring por Nicholas Kirkwood
Designer dos sapatos mais exuberantes da atualidade, o inglês Nicholas Kirkwood lançou este ano uma coleção inspirada nas obras do artista plástico Keith Haring. Entre as criações, sapatos, sandálias e até uma bota-patins com os famosos traços, bonecos e grafismos de Haring. A coleção uniu o imaginário criativo do artista com o de Kirkwood, que não deixou de lado as características mais marcantes de suas coleções: sapatos estruturados e o uso de materiais pouco explorados no mercado de calçados. Dessa vez foram os cristais. “Minha intenção foi reproduzir a obra de Haring como nunca se fez”, declarou o artista, que trabalhou no lançamento da coleção durante meses ao lado da Keith Haring Foundation.

Esculturas de Levi
O israelense Kobi Levi, que já trabalhou em países como Itália, China e Brasil e hoje é designer com escritório próprio em Tel Aviv, cria sapatos conceituais com desenho arrojado, mas que podem perfeitamente ser utilizados no dia a dia. Todos são verdadeiras esculturas ambulantes: feitos a mão, trazem o toque artesanal e desafiador em cada peça. A proposta de Levi é fazer com que o público vivencie a experiência de uma obra de arte. Inspirados em pássaros, elementos naturais, a relação entre mães e filhas ou até no ícone pop Madonna, os sapatos de Levi são, conforme ele mesmo acredita, “esculturas que se pode calçar”. “Nas minhas criações, o sapato é a minha tela. E o gatilho para a criação de uma nova peça acontece quando uma ideia, um conceito ou uma imagem vem à minha mente”, revela o artista.

 

Compartilhar: