DASARTES 31 /

Afonso Tostes por ele mesmo

Afonso Tostes comenta a própria obra e nos guia dentro de seu processo artístico.

Quando a agenda está mais folgada e a cabeça mais perdida, minhas experimentações são francas e constantes. O ateliê fica com ideias soltas em forma de trabalhos a serem desenvolvidos. Então vem a agenda e sou obrigado a aglutinar aquilo que será um trabalho, uma obra. A exposição realizada no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro foi composta de várias esculturas. Essas esculturas tinham galhos e ossos misturados, alguns eram galhos de verdade, enquanto outros eram folheados a ouro. Em projetos futuros, pretendo voltar a pensar nesses possíveis trabalhos que estão no ateliê.

Sempre trabalhei com a ideia de estrutura e todos os desdobramentos que isso pode apontar. Os conceitos vão surgindo a cada trabalho, e um trabalho pode significar uma coisa quando está em um determinado espaço, e outra coisa diferente, se deslocado para outra situação. Então os conceitos são mais flexíveis. Na exposição que realizei na Galeria Luciana Caravello Arte Contemporânea, mostrei objetos realizados a partir de restos de esculturas. Esses pedaços contêm o negativo de outras peças. No entanto, os desenhos e as tensões presentes nessas formas redimensionam o olhar e cada peça sugere uma nova interpretação.

Não consigo definir um processo específico de trabalho. Minha criação acontece de várias formas, às vezes fazendo ginástica, outras dirigindo, etc. Acho que ? um estado em que você se coloca e as coisas vão fluindo. Em minha exposição, na Casa França-Brasil, está presente um trabalho que reflete esse meu envolvimento franco com o fazer uma tentativa, como venho propondo em cada uma de minhas últimas exposições. As peças da mostra são como a continuação de um braço ou de uma mão.

Compartilhar:

Confira outras matérias

Matéria de capa

Alphonse Mucha

Alphonse Mucha é hoje um dos artistas tchecos mais famosos do mundo. Nascido em 1860 na região da Morávia, ganhou …

Destaque

Rosana Paulino: a costura da memória

Voz singular em sua geração, Rosana Paulino surgiu no cenário artístico paulista em meados dos anos 1990, propondo, de modo …

Do mundo

Anni Albers

Anni Albers começou seus estudos na Escola Bauhaus em Weimar em 1922. Apesar de seu desejo inicial de ser pintora, …

Reflexo

Vinicius SA por ele mesmo

O pensamento científico me influencia pela racionalidade, pelo cálculo e pela possibilidade de antever meus projetos. A prática artesanal é …

Garimpo

Marcel Diogo

A escolha dos leitores da Dasartes para o concurso Garimpo Online 2018/2019 é Marcel Diogo, somando a votação no site …

Resenhas

Resenhas

Intempéries permanentes e Ultramar
Referência Galeria de Arte
Intempéries permanentes – visitação até 23 de fevereiro
Ultramar – visitação até 26 de janeiro
POR …

Destaque

Jean-Michel Basquiat na Fundação Louis Vuitton

Inquebrável

Parece que palavras “tour de force” foram criadas para a exposição épica de Jean-Michel Basquiat na Louis Vuitton Foundation. A …

Matéria de capa

Andy Warhol: de A para B e vice-versa

“Eles não queriam meu produto. Ficavam dizendo ‘queremos sua aura’. Nunca entendi o que queriam.” – Andy Warhol
Esse trecho tirado …

Flashback

Constantin Brancusi

Constantin Brancusi (1876-1957) exibiu pela primeira vez sua escultura em Nova York, no Armory Show de 1913, ao lado de …

Do mundo

Jaume Plensa

“A escultura é a melhor maneira de fazer uma pergunta.” Jaume Plensa

“Firenze II”, de 1992, é um enorme ponto de interrogação …

Destaque

A vizinhança de Lucia Laguna

As pinturas de Lucia Laguna são inseparáveis do local onde foram feitas: o ateliê-casa da artista e os arredores do …

Garimpo

Gunga Guerra

Nascido em Moçambique e radicado no Rio de Janeiro, Gunga Guerra é a escolha do conselho editorial da Dasartes para …

Resenhas

Resenhas

Amsterdam Art Week
Museus e Galerias • Amsterdã • Países Baixos • 22 a 25/11/2018
POR SYLVIA CAROLINNE

Diversas foram as aberturas ao …

Matéria de capa

Os contos cruéis de Paula Rego

 

“Os contos cruéis”, de Paula Rego, exposição inaugurada em outubro no Museu  L’Orangerie, em Paris, marca um momento importante na …

Flashback

Pieter Bruegel, o velho

Bruegel é um moralista ou fatalista? Otimista ou cínico? Humorista ou um filósofo? Camponês ou habitante da cidade? Folclorista ou …