© Rochele Zandavalli

DASARTES 21 /

A poesia do fio

O Santander Cultural de Porto Alegre abriga a exposição Arthur Bispo do Rosário: a poesia do fio, reunindo mais de 200 obras do artista.

O Santander Cultural de Porto Alegre abriga a exposição Arthur Bispo do Rosário: a poesia do fio, reunindo mais de 200 obras do artista sergipano que será um dos principias artistas da próxima Bienal de São Paulo. A exposição é a terceira das três mostras que inauguraram em março no espaço, que inclui O Triunfo do Contemporâneo – 20 anos do Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul e Rever, individual da artista gaúcha Rochele Zandavalli. Com curadoria de Wilson Lazaro, do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea no Rio de Janeiro, e de Helena Severo, a mostra é um recorte singular da produção do artista que passou a maior parte de sua vida internado em uma clínica para doentes psiquiátricos, a Colônia Juliano Moreira (RJ), e lá produziu toda sua obra.

Bispo do Rosário recusou os tratamentos psiquiátricos recorrente na época – como drogas, eletrochoques e lobotomia – e não frequentou nenhum ateliê de arteterapia. Segundo Lazaro “ele usou a instituição como atelier, casa e espaço de investigação”. Bispo dizia que sua produção era, na verdade, uma única obra (na verdade, uma grande instalação, isso antes de esse conceito ser discutido na arte contemporânea). O público poderá ver obras como os estandartes, o lençol bordado frente e verso, sua cama (onde ele nunca dormiu), assemblages e e seu famoso “manto de apresentação”, entre outras peças.

Durante a sua vida, criou as 804 obras que hoje estão aos cuidados do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea, e que em 1992 foram tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro (INEPAC). Foi bordando, desfiando, escrevendo, desenhando, construindo, pregando, sobrepondo e juntando coisas que Bispo do Rosário deixou um legado artístico único. Como ele mesmo dizia, “os doentes mentais são como os beija-flores. Nunca pousam. Estão sempre a dois metros do chão”.

<serviço>Santander Cultural
Porto Alegre
Até 29 de abril
Rua Sete de Setembro 1028 – Centro Histórico, Porto Alegre
Tel: 51 3287 5500

 

Compartilhar:

Confira outras matérias

Matéria de capa

Alphonse Mucha

Alphonse Mucha é hoje um dos artistas tchecos mais famosos do mundo. Nascido em 1860 na região da Morávia, ganhou …

Destaque

Rosana Paulino: a costura da memória

Voz singular em sua geração, Rosana Paulino surgiu no cenário artístico paulista em meados dos anos 1990, propondo, de modo …

Do mundo

Anni Albers

Anni Albers começou seus estudos na Escola Bauhaus em Weimar em 1922. Apesar de seu desejo inicial de ser pintora, …

Reflexo

Vinicius SA por ele mesmo

O pensamento científico me influencia pela racionalidade, pelo cálculo e pela possibilidade de antever meus projetos. A prática artesanal é …

Garimpo

Marcel Diogo

A escolha dos leitores da Dasartes para o concurso Garimpo Online 2018/2019 é Marcel Diogo, somando a votação no site …

Resenhas

Resenhas

Intempéries permanentes e Ultramar
Referência Galeria de Arte
Intempéries permanentes – visitação até 23 de fevereiro
Ultramar – visitação até 26 de janeiro
POR …

Destaque

Jean-Michel Basquiat na Fundação Louis Vuitton

Inquebrável

Parece que palavras “tour de force” foram criadas para a exposição épica de Jean-Michel Basquiat na Louis Vuitton Foundation. A …

Matéria de capa

Andy Warhol: de A para B e vice-versa

“Eles não queriam meu produto. Ficavam dizendo ‘queremos sua aura’. Nunca entendi o que queriam.” – Andy Warhol
Esse trecho tirado …

Flashback

Constantin Brancusi

Constantin Brancusi (1876-1957) exibiu pela primeira vez sua escultura em Nova York, no Armory Show de 1913, ao lado de …

Do mundo

Jaume Plensa

“A escultura é a melhor maneira de fazer uma pergunta.” Jaume Plensa

“Firenze II”, de 1992, é um enorme ponto de interrogação …

Destaque

A vizinhança de Lucia Laguna

As pinturas de Lucia Laguna são inseparáveis do local onde foram feitas: o ateliê-casa da artista e os arredores do …

Garimpo

Gunga Guerra

Nascido em Moçambique e radicado no Rio de Janeiro, Gunga Guerra é a escolha do conselho editorial da Dasartes para …

Resenhas

Resenhas

Amsterdam Art Week
Museus e Galerias • Amsterdã • Países Baixos • 22 a 25/11/2018
POR SYLVIA CAROLINNE

Diversas foram as aberturas ao …

Matéria de capa

Os contos cruéis de Paula Rego

 

“Os contos cruéis”, de Paula Rego, exposição inaugurada em outubro no Museu  L’Orangerie, em Paris, marca um momento importante na …

Flashback

Pieter Bruegel, o velho

Bruegel é um moralista ou fatalista? Otimista ou cínico? Humorista ou um filósofo? Camponês ou habitante da cidade? Folclorista ou …