Quase 70% dos artistas representados pelas principais galerias de Londres são homens, de acordo com um novo estudo

Dorothea Tanning na Tate Modern, Foto: The London Magazine

Um relatório, encomendado pela Freelands Foundation, descobriu que o mundo da arte britânica é um microcosmo da economia maior, onde o trabalho das mulheres é menos valorizado que o dos homens.

De acordo com o relatório, 68% dos artistas representados nas principais galerias comerciais de Londres são homens, apesar de as mulheres constituírem a maioria dos formados em artes. A situação é ainda pior no mercado secundário, onde 88 por cento das vendas foram de obras de artistas do sexo masculino.

Galerias dirigidas por mulheres diretores são cúmplices em perpetuar essa desigualdade histórica, de acordo com o relatório. Embora 48% dos diretores de galerias de Londres sejam mulheres, apenas 32% dos artistas representados são mulheres.

“Existem algumas mulheres extraordinariamente poderosas no mundo da arte, mas elas não estão necessariamente trabalhando duro para alcançar a paridade [de gênero] nos artistas que representam”, a autora do relatório, Kate McMillan, conta à Artnet News.

McMillan, um acadêmico do King’s College, também descobriu que, nos últimos três anos, houve uma redução de 1% nas artistas femininas representadas pelas galerias de Londres. “As pessoas tendem a superestimar o quão bem eles estão indo”, diz ela.

McMillan diz que é especialmente raro encontrar um galerista que pense sobre a melhor forma de apoiar suas artistas femininas que tenham filhos pequenos. Ela encontrou apenas uma que fez um planejamento significativo com suas artistas e que ajudou a financiar o custo do cuidado infantil (a galerista era ela mesma uma mãe solteira). A atitude predominante é que artistas do sexo feminino na faixa dos 30 anos “têm filhos e correm para o campo e não fazem mais nenhuma arte”, diz McMillan.

A situação também não é muito melhor nas instituições de ensino, onde 63% dos funcionários seniores são homens. Isso ocorre apesar do fato de que “66% dos pedidos de pós-graduação no setor de artes criativas e design foram feitos por mulheres”, segundo o relatório.

“A maioria dos acadêmicos que trabalham em escolas de arte são artistas”, ressalta McMillan. “Há uma correlação entre a porcentagem de artistas masculinos representados comercialmente e a porcentagem de acadêmicos seniores”, diz ela.

Embora as galerias comerciais e as escolas tenham um longo caminho a percorrer, museus e espaços não comerciais fizeram mudanças significativas em seus programas nos últimos três anos. McMillan descobriu que, em 2018, 55% dos mostras individuais organizados por 40 instituições na Grã-Bretanha contavam com trabalhos de artistas femininas. Em 2017, esse número foi de 39%.

Houve mais exposições solo de destaque com trabalhos de artistas do sexo feminino do que nunca, como a colaboração inédita do ano passado entre a National Portrait Gallery, a National Gallery e a Royal Academy na organização de três exposições de Tacita Dean. Mas McMillan adverte contra assumir que a tendência continuará. “Uma das suposições que as pessoas fazem é que o progresso é inevitável”, diz ela.

Ainda assim, a galerista Alison Jacques, que trabalha principalmente com artistas femininas, diz que houve “uma mudança maciça” na representação de artistas femininas. Ela é encorajada pelo fato de que obras de artistas como Dorothea Tanning, cujo patrimônio ela representa, estão sendo vendidas por US $ 1 milhão ou mais. Mas Jacques reconhece que o fechamento da lacuna de gênero levará tempo.

O relatório é o terceiro que McMillan realizou para a Freelands Foundation, que foi lançada pela filantropa Elisabeth Murdoch. A organização também apoia artistas do sexo feminino em meio de carreira por meio de um prêmio anual de £ 100.000, que vai para uma exposição individual em uma instituição fora de Londres. Os vencedores do prêmio desde 2016 são: Jacqueline Donachie (The Fruitmarket Gallery, Edimburgo); Lis Rhodes (Nottingham Contemporary) e Veronica Ryan (Spike Island, Bristol).

Fonte: artnet News

Compartilhar:
De Arte a Z - 17/06/2019

28º Prêmio Montblanc de Cultura premia designer brasileiro

O designer brasileiro Marcelo Rosenbaum foi escolhido por seu projeto A Gente Transforma, em Várzea Queimada, Piauí.

Prêmio anual é concedido …

De Arte a Z - 13/06/2019

Museus brasileiros esquivam-se de novas regras da Lei Rouanet

Os museus brasileiros deram um suspiro de alívio após um anúncio do governo, de que mudanças em um esquema de …

De Arte a Z - 13/06/2019

Os 10 melhores estandes da Art Basel

Veja a selelão dos 10 melhores estandes da Art Basel em Basel, por Artsy.

Por Alina Cohen

Agora, em sua 50ª edição, …

De Arte a Z - 13/06/2019

Pavilhão da Bienal de Veneza fecha por protesto

O pavilhão de Hong Kong na Bienal de Veneza anunciou na manhã do dia 12 de junho, que estará encerrando …

De Arte a Z - 13/06/2019

Pintura mais cara da ArtBasel de Peter Doig é uma revenda de garantidor, entenda malabarismo do mercado

Apenas 15 meses depois da tela de Peter Doig “O Lar do Arquiteto no Desfiladeiro” ter arrecadado US$ 20 milhões …

De Arte a Z - 13/06/2019

"Um Brasil frágil", veja os planos para próxima Bienal de SP

Por Taylor Dafoe

Como muitos países em todo o mundo, o Brasil hoje está fundamentalmente dividido. Essa dinâmica nunca foi mais …

De Arte a Z - 13/06/2019

Esposa de famoso artista Pop Art comete suícido

No último domingo à noite dia 9/6, Mary Max, a esposa do artista pop Peter Max, deixou uma longa mensagem …

De Arte a Z - 12/06/2019

Pavilhão da Lituânia na Bienal de Veneza ganha nova vida

Nos dias de abertura da Bienal de Veneza deste ano, uma longa fila para entrar no Pavilhão da Lituânia era …

De Arte a Z - 12/06/2019

"Não seremos apagados": ativistas ocupam El Museo del Barrio

Cerca de uma dúzia de ativistas organizaram um protesto no El Museo del Barrio, em Nova York, como parte de …

De Arte a Z - 12/06/2019

O queer antes do queer

O termo “homossexual” é relativamente novo. De fato, foi cunhado pelo jornalista austríaco e autor Karl-Maria Kertbeny em 1867. Mas …

De Arte a Z - 06/06/2019

Casa Parte chega à terceira semana criando pontes entre arte popular e arte urbana

A Casa Parte, novo projeto da Parte Feira de Arte Contemporânea, chega à sua semana final. Entre 6 e 9 …

De Arte a Z - 30/05/2019

Filme sobre mercado de arte e falsificações é nova promessa da Warner Bros.

A Warner Bros. teve um dos maiores sucessos de bilheteria da temporada do Oscar do ano passado, com a estréia …