O Vaticano escondeu representações de sacerdotisas mulheres na arte?

Mosaico no Batistério de Latrão da Capela de San Venantius, em Roma

A historiadora de arte Ally Kateusz apresentou um trabalho de pesquisa em Roma argumentando que a igreja ocultava evidências de iconografia católica na qual as mulheres mostravam que as tarefas agora eram permitidas apenas para homens, em um esforço para impedi-las de se tornarem sacerdotisas. Ela rastreou vários exemplos de arte cristã primitiva mostrando mulheres tomando o lugar de bispos e padres, embora alguns acadêmicos discordem de sua interpretação dos artefatos.

As imagens pesquisadas por Kateusz são especialmente importantes por causa de nossa evidência limitada da liturgia cristã primitiva. Examinando as três primeiras imagens sobreviventes de cristãos adorando no altar (duas do século V e uma do início do século VI), Kateusz observa que todas mostram as mulheres no altar em papéis aparentemente oficiais. “Eles retratam mulheres no altar em três das igrejas mais importantes da cristandade – São Pedro em Roma, a Santa Sofia em Constantinopla e a Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém.”

O que é significativo nessas imagens é que elas mostram mulheres e homens em papéis paralelos, seus corpos e gestos espelhando-se uns aos outros. O paralelismo, ela argumenta, sugere igualdade. Na imagem da adoração em São Pedro, em Roma, preservada em uma caixa de marfim do século V, parece que a figura feminina está erguendo um cálice acima do altar. Hoje, este é um ato realizado pelos sacerdotes. Ela mostra que a mesma ideia de que as mulheres participaram da celebração da liturgia está presente em uma variedade de obras de arte cristãs primitivas, bem como nos primeiros escritos do bispo cristão do segundo século, Irineu, de Lyon. Ela conclui não apenas que a Eucaristia foi realizada por homens e mulheres, mas também que as origens desse paralelismo de gênero podem, em última análise, estar localizadas em antigos princípios filosóficos e práticas religiosas judaicas.

Um dos exemplos mais importantes de Katuesz é um mosaico no Batistério de Latrão da Capela de San Venantius, em Roma. O mosaico, que fica acima do altar, foi encomendado pelo papa Theodore no sétimo século. Segundo Kateusz, ela contém uma imagem da Virgem Maria usando sua tradicional roupa azul, com um “pálio de bispo” que é identificável pela cruz vermelha na vestimenta. Os braços de Maria, disse Kateusz, são levantados “como se [ela] estivesse realizando a Eucaristia. É uma maneira simbólica de dizer que Maria era uma líder da igreja ”.

Hoje, o mosaico está quase totalmente escondido atrás de um enorme retábulo barroco. O retábulo apresenta um tipo muito diferente de retrato de Maria em que ela se senta em uma pose mais recatada e tradicional, segurando o menino Jesus. Kateusz argumenta que isso era parte de um esforço deliberado “para disfarçar o fato de que Maria foi retratada como bispa”.

Tal como acontece com todas as obras de arte, existem explicações alternativas para a iconografia. A pose de Maria com os braços estendidos é chamada de “orans pose” e é geralmente entendida como retratando uma figura em oração. Em vez de celebrar a Eucaristia, talvez Maria estivesse desempenhando seu papel mais tradicional de orar pelos pecadores. Alguns estudiosos se perguntaram se Maria está realmente usando o pálio de um bispo no mosaico do Batistério de Latrão. 

Kateusz observa que quase todos os outros mosaicos antigos de Roma estão em exibição total. É sugestivo que um mosaico mostrando Maria como bispa esteja oculto. Ela também observa que quando o tessare vermelho (azulejos) que compunha a cruz no pálio começou a cair, eles foram substituídos por brancos, obscurecendo assim seu significado original. É apenas a preservação da cruz em uma ilustração do século XIX que nos permite ver sua cor original. E ainda resta a questão do que fazer com as primeiras representações da adoração ao altar que ela analisa.

A questão, então, não é: “as mulheres ocuparam cargos de liderança?” (elas ocuparam), mas sim “por quanto tempo?”

Será necessário algum debate acadêmico e análise histórica para chegar a qualquer tipo de consenso sobre a importância relativa dessas descobertas para nosso conhecimento do passado. Mesmo que estudiosos concordassem que havia mulheres sacerdotisas em comunidades cristãs ortodoxas no século II e além, é possível que a doutrina e a prática modernas nunca fossem afetadas por esse trabalho. Mas para as mulheres de hoje que estão à procura de modelos na igreja, os argumentos de Kateusz complicam o retrato normalmente recatado de Maria como mãe e mulher como testemunhas silenciosas das representações rituais dos homens. Além disso, para aqueles que buscam a paridade de gênero, oferece esperança de que a liderança das mulheres não seja apenas um sonho feminista moderno: ela existiu no passado e isso tem significado para o presente.

Fonte: Daily Beast

Compartilhar:
De Arte a Z - 09/07/2019

Melania Trump ganha seu primeiro monumento, e não é bem o que você esperaria

Uma escultura de madeira em tamanho real de Melania Trump apareceu recentemente em cima de um pedestal de árvore nas …

De Arte a Z - 08/07/2019

MALBA à venda? Entenda a curiosa placa instalada na fachada do museu

Usuários de redes sociais ficaram surpresos com a fotografia de um homem instalando uma placa na fachada do Museu de …

De Arte a Z - 04/07/2019

Nova mostra de Basquiat aborda emblemática brutalidade policial

Jay-Z emprestou um Basquiat para uma exposição sobre um episódio histórico de alegada brutalidade policial, aprendeu Page Six.

O rapper ofereceu …

De Arte a Z - 04/07/2019

Mistério por trás de fechamento do Museu de Arte de Dallas

O jardim de esculturas no Museu de Arte de Dallas foi fechado durante essa semana, possivelmente porque um jovem skatista …

De Arte a Z - 04/07/2019

Vincent ou Theo? Estudioso diz que museu confundiu retratos dos irmãos van Gogh

Um par de retratos no Museu Van Gogh, em Amsterdã, representando Vincent e seu irmão Theo, são objeto de um …

De Arte a Z - 04/07/2019

Descoberta identidade de comprador de Caravaggio milionário

Era uma conclusão tão surpreendente quanto a proveniência do trabalho em si: Dias antes da pintura Judith Beheading Holefernes, descoberta …

De Arte a Z - 04/07/2019

Famosa escultura de Anish Kapoor é vandalizada

Sete pessoas foram levadas sob custódia em Chicago depois de supostamente vandalizar a amplamente adorada escultura pública de Anish Kapoor, …

De Arte a Z - 02/07/2019

Banksy projeta um "colete à prova de facadas" para o rapper britânico Stormzy

Banksy ataca novamente, desta vez no festival de música mais popular da Grã-Bretanha. Na noite de sexta-feira, o rapper britânico …

De Arte a Z - 30/06/2019

Rio mais poluído de São Paulo recebe obra permanente de Eduardo Srur

O artista Eduardo Srur inaugurou a obra “Barco sobre um Rio Enterrado”, na margem do rio Pinheiros, em São Paulo …

De Arte a Z - 27/06/2019

Imagens de tirar o fôlego que ganharam o Concurso Nacional de Viagens Geográficas

Uma aldeia ártica coberta de neve na Groenlândia; um menino pensativo em um nascer do sol do rio na Índia; e uma …

De Arte a Z - 27/06/2019

Conheça toda a história por trás do Caravaggio redescoberto e vendido antes de chegar ao leilão

A pintura Judith decapitando Holofernes (cerca 1607) que especialistas afirmam ser uma segunda versão há muito tempo perdida de Caravaggio …

De Arte a Z - 27/06/2019

O que a Vênus de Milo e outras obras-primas do Louvre cheiram?

O Louvre está trabalhando com os melhores perfumistas para fazer aromas inspirados em suas obras-primas.

O museu francês juntou-se a uma …