Mapas indígenas do século XVI mostram visões não-eurocêntricas do mundo

Mizantla, México, 1579

Ao mesmo tempo em que a Espanha começou a explorar as Américas habitadas, os cartógrafos europeus concentraram-se em criar mapas com precisão geométrica cada vez maior e depois reproduzir os mesmos por meio de gravuras e xilogravuras. Mas os europeus não foram os únicos a criar representações de geografias e espaços de mapas nas Américas – e sua cartografia matematicamente não foi a única maneira de registrar as paisagens do século XVI.

Mapeando a memória: espaço e história no século XVI – México – atualmente em exibição no Museu de Arte Blanton, em Austin, Texas – apresenta 20 mapas desenhados por artistas indígenas a pedido dos espanhóis entre 1579 e 1581. Esses mapas ilustram a fusão de tradições visuais durante os primeiros anos de contato entre grupos indígenas e colonizadores.

“O que os mapas melhor nos mostram é o mundo indígena – como seus habitantes, ainda se recuperando, sem dúvida, dos golpes da conquista, reformularam seus mapas outrora insulares para acompanhar as rápidas mudanças em sua compreensão do mundo circundante”, afirma a historiadora Barbara Mundy.

A maioria foi criada com aquarelas e tinta sobre papel, embora um artista ilustrando Atengo e Misquiahuala tenha utilizado tempera de pele de veado. O estilo de cada um é único, assim como as cores e pinceladas; a maioria mede aproximadamente 16 a 24 polegadas por 24 a 36 polegadas, em composições de paisagem e retrato, mas outros possuem grandes dimensões.

Atengo e Misquiahuala, México, 1580

O mapa comunidade Mixteca de Teozacoalco (na atual Oaxaca) – um dos exemplos em grandes dimensões – além de mapear os limites da cidade, registra a língua local como chiyo ca’nu e descreve 46 topônimos logográficos e 10 gerações de governantes locais. Cidades menores na esfera de influência de Teozacoalco são mostradas conectadas por uma rede de rios e estradas. Esse mapa, ao contrário dos mais compactos, foi claramente dobrado, desdobrado e redobrado ao longo do tempo. Manchas escuras ao longo das dobras do mapa ressaltam que o mapa era um objeto circulante, parte da construção do império espanhol.

Além das pinturas, a exposição apresenta impressões do século XVI das cartas de Cortés ao rei Carlos V, da Espanha, justificando sua expedição e caracterizando a subsequente guerra hispano-mexica como uma conquista absoluta para a Espanha. Também está em exibição o decreto de 1529 de Charles V, que nomeia Cortés como capitão-general da Nova Espanha.

Mapping Memory oferece um retrato incrivelmente sutil do legado material do império e lembra ao público que as tradições visuais indígenas de mapeamento perseveraram-se nas décadas seguintes ao contato com os espanhóis.

Teozacoalco, Mexico, 1580

 

Fonte: Hyperallergic

Compartilhar:
De Arte a Z - 15/08/2019

Exposição imersiva no universo de Van Gogh chega a São Paulo

Neste sábado (17/08), o shopping Pátio Higienópolis, em São Paulo, inaugura a exposição Paisagens de Van Gogh, sobre o pintor …

De Arte a Z - 15/08/2019

Quarto de motel com tema de Edward Hopper permite experimentar a alienação das pinturas clássicas do artista

Como os museus de todo o mundo disputam a atenção – e os dólares – de visitantes, estão cada vez …

De Arte a Z - 15/08/2019

Coletivo de arte austríaco transformando um set de filmes de pesadelo

A cena em constante mutação de Liam Gillick e a mostra atual do coletivo austríaco Gelatin no museu Kunsthalle, em …

De Arte a Z - 15/08/2019

Mural da Estátua da Liberdade algemada viraliza na internet

Mural no centro de Las Vegas, do artista britânico Izaac Zevalking, queria chamar a atenção para a fundação da América …

De Arte a Z - 15/08/2019

Artistas transformam o aeroporto de Hong Kong em um estúdio de arte de protesto como manifestações antigovernamentais

Artistas se juntaram aos manifestantes que ocupavam o Aeroporto Internacional de Hong Kong no fim de semana para criar arte …

De Arte a Z - 15/08/2019

"Fibra – I Bienal de Arte Têxtil" está com inscrições abertas

Um projeto para apresentar as tendências e os diferentes trabalhos de áreas que se mesclam na arte e na economia …

De Arte a Z - 09/08/2019

MASP recebe doação de arquivo de Rubem Valentim com mais de 10.000 itens

O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) recebeu um vasto acervo com manuscritos, datiloscritos, cartas, fotos e …

De Arte a Z - 09/08/2019

Uma virada de cores na maior comunidade de São Paulo

De abril a junho deste ano o projeto Uma Virada de Cores ofereceu oficinas gratuitas de graffiti a jovens de …

De Arte a Z - 06/08/2019

Com programação movimentada e novas parcerias, 13ª SP-Foto estreita vínculos entre a cena brasileira e a internacional

A SP-Foto – Feira de Fotografia de São Paulo chega à sua 13ª edição firmando-se como o mais relevante evento de fotografia …

De Arte a Z - 02/08/2019

Polêmica da Mona Lisa: Tribunal e misterioso consórcio com suposta versão mais jovem da musa de Da Vinci

Uma disputa de propriedade está esquentando sobre uma versão da Mona Lisa que se acredita ser das mãos de Leonardo …

De Arte a Z - 02/08/2019

Gerhard Ritchter nega museu em seu nome oferecido pela Alemanha

Embora o artista vivo mais famoso da Alemanha diga que não quer um museu dedicado a suas pinturas, autoridades em …

De Arte a Z - 02/08/2019

Família encontra retrato em casa e a pintura é de um dos artistas mais famosos da África

Durante décadas, uma pintura de uma mãe de família do Texas ficou pendurado nas paredes de sua casa. Por um …