Destino trágico de musa de Van Gogh é revelado em novo livro

Uma representação de Vincent van Gogh de Sien Hoornik, a única namorada do artista, de 1882. Cortesia: Kröller-Müller Museum, Otterlo.

O especialista em Van Gogh, Martin Bailey, relata a difícil vida de Sien Hoornik.

Em sua curta vida de 37 anos, Vincent van Gogh teve apenas uma namorada, Sien Hoornik, uma prostituta que ele contratou para ser sua modelo. E apenas 21 anos depois do artista ter se matado em um campo no norte da França, Hoornik também morreu por conta própria – assim como ela disse que faria ao artista.

A história, contada no novo livro do especialista em Van Gogh, Martin Bailey, Vivendo com Vincent van Gogh: As casas e paisagens que modelaram o artista (publicado pela White Lion Publishing), desenvolve mais completamente uma história que só era conhecida anteriormente em parte.

Quando Hoornik conheceu o artista, ela era uma mãe solteira grávida. Eventualmente, ela e sua jovem filha mudaram-se para o seu humilde apartamento em Haia, onde ela deu à luz um filho, chamado Willem, em homenagem ao nome do meio do artista, embora ele não fosse o pai.

Cerca de um ano depois que eles começaram a viver juntos, Hoornik disse a Van Gogh que ela havia se tornado uma “prostituta” por acomodação, prevendo que “estava fadada a acabar pulando na água”, relata Bailey.

Hoornik finalmente se afogou em 1904. Embora a acadêmica de Van Gogh, Jan Hulsker, tenha escrito anteriormente sobre seu suicídio, a data e as circunstâncias exatas nunca haviam sido identificadas. Bailey rastreou sua certidão de óbito no arquivo municipal de Roterdã, combinando a data da morte com relatos em um jornal local sobre uma mulher que se afogou.

Hoornik não teve uma vida fácil. Ela perdeu dois filhos na infância, e cada um dos quatro homens que a engravidaram acabou abandonando-a. Embora Van Gogh tenha expressado o desejo de se casar com ela, eles nunca se casaram.

“Eu não quero que ela se sinta abandonada e sozinha por mais uma vez… Eu sinto um amor terno por ela e abraço seus filhos”, escreveu o artista em uma carta para seu irmão, Theo. Van Gogh reconheceu o estado frágil de Hoornik, acrescentando que temia que, se não se casassem, “as dificuldades a farão seguir o mesmo caminho que termina no abismo”.

O atestado de óbito da antiga namorada de van Gogh, Clasina (Sien) Maria Hoornik (22 de novembro de 1904). © Collectie Staadsarchief Roterdão.

Os dois se separaram cerca de 18 meses depois de se conhecerem, em parte porque Hoornik não compartilhava o amor voraz de Van Gogh por arte e literatura – mas também por causa da oposição de Theo ao relacionamento (ele se opunha a que seu irmão se casasse com uma ex-prostituta). Depois que eles terminaram, Hoornik enviou seus dois filhos vivos para serem criados por membros da família.

Em 1901, aos 51 anos, ela finalmente se casou pela primeira vez com Arnoldus Franciscus van Wijk, 11 anos mais novo do que ela. A pesquisa de Bailey revelou um artigo de jornal no qual ele foi solicitado a identificar o corpo exumado de sua esposa uma semana após sua morte, altura em que o corpo estava em estado de decadência.

Compartilhar:
De Arte a Z - 23/05/2019

Rapidinhas De Arte a Z

Uma norte-americana projetará o novo parque da Torre Eiffel
A arquiteta paisagista que vive em Londres, Kathryn Gustafson, nascida nos Estados …

De Arte a Z - 23/05/2019

Museu do Prado elabora plano de evacuação para suas obras de arte

Quatro dias antes de um incêndio devastar a catedral de Notre-Dame em 15 de abril, o Museu do Prado contratou …

De Arte a Z - 23/05/2019

Laptop infectado com vírus mais perigosos do mundo está em leilão por milhões

No início deste ano, uma empresa de segurança cibernética contratou o artista online Guo O Dong para levar um laptop …

De Arte a Z - 23/05/2019

Museu Nacional busca fundos na Europa

O diretor do Museu Nacional do Brasil se dirigiu à Europa ontem para uma viagem de duas semanas para arrecadar …

De Arte a Z - 23/05/2019

Artista fornece um palco para nós tomarmos decisões políticas

Björn Meyer-Ebrecht: Uprising na Owen James Gallery é uma exposição de reposição composta de sete plataformas de madeira e três …

De Arte a Z - 23/05/2019

Cinco décadas de arte feminista da Europa Oriental

States of Focus é um poderoso testemunho para mulheres contemporâneas artistas que suportaram e continuam a suportar ataques à sua …

De Arte a Z - 22/05/2019

Agreste Lenticular: artista resgata técnica do século 19

A técnica lenticular há tempos foi incorporada pela indústria e pode ser vista em brinquedos, agendas, cadernos, e quadros decorativos, …

De Arte a Z - 20/05/2019

Um olhar sem julgamento para nosso impulso por compartilhar imagens

Na série Oportunidades Fotográficas de Courtney Vionnet (2005-14), imagens borradas de locais icônicos, incluindo a Torre Eiffel e o Taj Majal, …

De Arte a Z - 20/05/2019

Cindy Sherman e Catherine Opie revelam um projeto colaborativo de arte vestível

Durante a abertura da Bienal de Veneza de 2019, as artistas Cindy Sherman e Catherine Opie revelaram seu projeto colaborativo: …

De Arte a Z - 16/05/2019

Os 10 melhores pavilhões da Bienal de Veneza. Brasil está na lista.

Por Cassey Lesser

A melhor maneira de tomar o pulso da arte contemporânea em todo o mundo pode ser visitando os …

De Arte a Z - 16/05/2019

Conheça a fabrica de processamento de desejos do coletivo Art Department

O coletivo de arte anônimo conhecido simplesmente como Art Department transformou um prédio desativado em “uma instalação secreta de processamento …

De Arte a Z - 16/05/2019

O artista Christo em novo projeto grandioso

Com pequenos detalhes, mas com grande prazer, Walking on Water segue o artista Christo ao criar uma de suas instalações …