Artista Zehra Doğan é detida novamente após protesto em museu

A polícia alemã deteve brevemente a artista e jornalista curda Zehra Doğan no último sábado após um protesto que ela encenou dentro do Museu Pergamon.

“Fomos detidos pela polícia alemã em Berlim por nossa atuação com Juan Golan Elibeg, Aurélie Gerardin e Thomas Lamouroux no Museu Pergamon para convocar Hasankeyf. O interrogatório continua”, escreveu ela em um tweet logo após a ação.

No sábado, 13 de julho, Doğan e três outros artistas entraram na coleção mesopotâmica do Museu Pergamon, onde ela, junto com vários cidadãos franceses, protagonizou um protesto contra a iminente destruição da antiga cidade mesopotâmica de Hasankeyf. Dogan é conhecida por sua implantação política de obras de arte. Em julho de 2017, a Turquia condenou Doğan a dois anos e nove meses de prisão, depois de ter pintado a destruição da cidade de Nusaybin, no sudeste do país, depois que as forças de segurança turcas reduziram a maior parte da cidade a escombros. Na época o artista de rua Banksy protestou a favor de Dogan pedindo sua liberdade.

Hasankeyf, que enfrentou inúmeras guerras, impérios e ameaças de outras destruições ao longo dos tempos, mas conseguiu sobreviver, está prestes a desaparecer, juntamente com os seus 12.000 anos de história, graças a um projeto de barragem proposto pelo Estado turco.

Localizada na província de Batman, Hasankeyf não está atualmente em posição de Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, porque o estado sob o qual ela deve se aplicar, a Turquia, não a nomeou. As indicações para se tornar um Patrimônio Mundial da UNESCO devem vir do Ministério da Cultura de um Estado soberano, um modelo que passou recentemente por intensas críticas.

Veja o vídeo da performance: https://www.facebook.com/akdogan.juan/videos/vb.723468042/10156759989843043/?type=2&video_source=user_video_tab

A fim de impedir a construção da represa de Ilisu e manter vivo o Hasankeyf e o vale do Tigre, Doğan, juntamente com Juan Golan Elibeg, Aurélie Gerardin e Thomas Lamouroux, agiu no Pergamon, adornando seus próprios corpos com pinturas rupestres de Hasankeyf, no chão e distribuindo folhetos.

Doğan disse em um comunicado que após a ação, ela foi detida e foi banida pela instituição por 99 anos. Após sua prisão, Doğan acrescentou que a polícia alemã confiscou seu telefone e apagou todas as suas fotos.

O Museu Pergamon ainda não respondeu aos pedidos de comentários. O Serviço de Cidadão do Departamento Federal de Polícia Criminal da Alemanha disse que a “polícia não pode divulgar dados pessoais sensíveis, como registros policiais (incluindo registros de pessoas presas) a entidades privadas”.

Ela destacou que ela e os outros escolheram executar a ação no museu porque, “Quando você entra no Pergamon, sente que está no Oriente Médio, ao mesmo tempo, você vai se sentir em Pergamon na Mesopotâmia porque todas as obras são tiradas de lá. Ela afirma que essa pilhagem está sendo auxiliada por máquinas fornecidas por empresas francesas e alemãs que estão construindo a represa. Ela continuou:

“Esses estados não se importam com Hasankeyf, que é um patrimônio mundial de 12 mil anos, o nascimento dos povos da Mesopotâmia. A represa de Ilisu está usando máquinas compradas de países europeus usando máquinas alemãs e francesas que foram vendidas para a Turquia para construir a represa. É por isso que escolhemos o Museu Pergamon. Em nossa própria história, queríamos chamar a atenção para o ataque a essa história, que hoje está ameaçada de ser destruída.”

A ação no Pergamon dá continuidade a uma ação similar que ela e os artistas fizeram no Louvre em Paris no mês passado.

“Como existem artefatos da Mesopotâmia na coleção do Pergamon, sentimos que o silêncio da instituição com referência a Hasankeyf é um subproduto do saque e do lucro”, disse Doğan.

A coleção do Museu Pergamon inclui uma das Sete Maravilhas do Mundo: uma reconstrução em grande escala do Portão de Ishtar construído em cerca de 575 aC que foi posteriormente escavado e enviado para a Alemanha em 1930 EC e é considerado um dos objetos mais emblemáticos do Mundo mesopotâmico.

De acordo com o canal de notícias turco Ahval News , a construção iminente da represa foi de aproximadamente 300 objetos culturais sendo removidos da região. Esses objetos podem e frequentemente terminam em mercados negros e, eventualmente, em coleções de museus públicos e privados.

“Fazer algo para Hasankeyf hoje em dia não é apenas responsabilidade dos povos da Mesopotâmia, é um dever de todos os povos”, enfatizou Dogan.

Fonte: Hypperarlegic.

Compartilhar:
De Arte a Z - 10/10/2019

Mostra imersiva para as pinturas fantasiosas do artista chileno Guillermo Lorca impressiona

Em Fires , uma das pinturas menores de Guillermo Lorca, uma jovem garota com um olhar intenso olha para o espectador. Com bochechas …

De Arte a Z - 10/10/2019

Exposição de arte feminista é cancelada na China

A exposição coletiva de arte feminista que ocorreria em Xangai, Nós | Mulher: ninguém nasce mulher, mas torna-se, foi cancelada …

De Arte a Z - 10/10/2019

Empréstimo do Homem Vitruviano de Leonardo da Vinci ao Louvre é cancelado no último minuto

Um tribunal italiano gerou um contratempo nos planos do Louvre para sua exposição Leonardo da Vinci, que marca o 500º …

De Arte a Z - 10/10/2019

Met planeja suas comemorações de 150 anos

O Metropolitan Museum of Art de Nova York comemora seus 150 anos em 2020 – e planeja marcar o evento …

De Arte a Z - 10/10/2019

“Aquário Urbano” será o maior mural de arte urbana de São Paulo, com 10 mil m² de grafite

Intervenção artística, com curadoria do artista Felipe Yung, o Flip, e do produtor cultural Kleber Pagú transformará o Centro de …

De Arte a Z - 03/10/2019

Leonardo da Vinci era alvo de piadas no Renascimento

Longe de ser admirado como um gênio extraordinário, Leonardo da Vinci foi repetidamente enganado e provocado pelos seus cabelos ruivos incomuns e …

De Arte a Z - 03/10/2019

Descoberta: primeira professora de arte de Van Gogh

Vincent van Gogh não se saiu bem na escola primária da vila em Zundert e, aos oito anos de idade, …

De Arte a Z - 03/10/2019

Homem que roubou pintura em plena luz do dia do museu de Moscou é condenado a três anos de prisão

Um homem que roubou uma pintura valiosa da parede da Galeria Tretyakov do Estado de Moscou em plena luz do …

De Arte a Z - 26/09/2019

Quer conhecer a Capela Sistina sozinho?

Em um determinado dia, cerca de 30.000 turistas – seis milhões por ano – fazem fila para ver a Capela …

De Arte a Z - 26/09/2019

Equipe de curadores cria um sistema para os artistas indígenas prosperarem

Ultimamente, a palavra ‘descolonização’ tem sido divulgada em todo o mundo nas artes nacionais e regionais, mas costuma ser mal …

De Arte a Z - 26/09/2019

Conheça o museu que gira 90º

Um novo museu retorcido foi aberto no maior parque de esculturas do norte da Europa. O edifício – chamado The …

De Arte a Z - 26/09/2019

Francesa descobriu que uma pintura em sua cozinha vale até US$ 6,6 milhões

Uma pintura que pairava durante anos sobre uma placa aquecedora na casa de uma mulher idosa ao norte de Paris …