Angela Merkel expurga obras de Emil Nolde de seu escritório

086

Uma nova exposição explora seu passado nazista e confronta o longo anti-semitismo oculto do artista.

A mídia alemã se animou na semana passada quando a notícia vazou de que a chanceler Angela Merkel havia decidido remover duas pinturas de Emil Nolde , o renomado expressionista alemão, das paredes de seu escritório. O movimento foi amplamente interpretado como um sinal de que as visões nazistas há muito suprimidas do artista estão finalmente se tornando parte de sua história oficial.

Até recentemente, Nolde sempre teve um álibi. Embora ela tenha se juntado ao partido nazista em 1934, suas paisagens de cores vivas e naturezas-mortas foram condenadas pelos nazistas como degeneradas. O artista iria exagerar muito a proibição nazista em seu trabalho em suas memórias após a guerra. E os documentos em seu arquivo revelando a extensão do seu anti-semitismo e o apoio inabalável de Hitler têm sido inacessíveis para os estudiosos, enquanto exposições de museus raramente tocam no assunto.

Isto é, até agora. Uma das duas pinturas que Angela Merkel tirou de suas paredes será incluída em um programa que, pela primeira vez, aborda diretamente o apoio da artista aos nazistas – e sua tentativa de encobrir esse fato após a guerra.

A exposição também levanta a questão mais ampla de como os museus deveriam abordar aspectos controversos da biografia de um artista. (No ano passado, a exposição “Emil Nolde: A cor é vida”, organizada pela fundação com o Museu Nacional da Irlanda e as Galerias Nacionais da Escócia, minimizou o antissemitismo de Nolde.) As legendas e os catálogos têm sido tradicionalmente eufemísticos ou evasivo quando o comportamento de um artista era desagradável – mas a maré pode estar mudando.

A inovadora exposição Emil Nolde será inaugurada 12 de abril, no museu Hamburger Bahnhof, em Berlim. Com o subtítulo “A artista durante o regime nazista”, o programa desafia o mito de que Nolde foi vítima de Hitler, como ele gostava de reivindicar. É verdade que um empréstimo estrelar na mostra do Instituto de Artes de Detroit, Girassóis (1932), foi confiscado pelos nazistas e declarado “degenerado” em 1937. Mas parece que a fé do artista no Nacional Socialismo não vacilou até o fim. da guerra.

Embora a participação do artista no Partido Nazista seja conhecida há muito tempo – ela ficou até desapontado por não ser nomeado um artista oficial do Estado – a fundação de Nolde há muito trabalhou para diminuir seu entusiasmo pelo nacional-socialismo e promover a ideia de que ele foi banido completamente da pintura. (Na verdade, as vendas e exibições de sua arte tinham que ser oficialmente autorizadas depois de 1941, mas ele continuou a trabalhar.) No passado, a fundação também restringiu o acesso a partes problemáticas de seu arquivo que mostram a extensão de seu antissemitismo.

A história completa da artista tornou-se possível pelo novo chefe da Fundação Ada e Emil Nolde, Christian Ring, que assumiu em 2013. Em contraste com seus predecessores, ele optou por abrir todo o arquivo do artista para os pesquisadores: “Todas as cartas estão na mesa”, disse ele ao New York Times. Um estudioso contou recentemente que encontrou um arquivo intitulado “EN e judeus”.

Merkel se recusou a dizer que estava removendo as obras de Nolde devido ao novo escrutínio de suas crenças. Ela disse à imprensa que estava devolvendo as pinturas ao seu proprietário, a Fundação do Patrimônio Cultural Prussiano, porque elas seriam incluídas na exposição de Berlim. Ela não planeja levá-los de volta depois que a exposição terminar.

“Emil Nolde, Uma lenda alemã: O artista durante o regime nazista” está em exibição de 12 de abril a 15 de setembro no Hamburger Banhof, em Berlim.

Compartilhar:
De Arte a Z - 18/04/2019

França anuncia concurso para redesenhar torre Notre Dame

Primeiro Ministro diz que catedral reconstruída pode refletir ‘técnicas e desafios de nossos tempos’.

A França lançará uma competição internacional de …

De Arte a Z - 18/04/2019

Ai Weiwei cria retratos de lego de estudantes mexicanos desaparecidos

O artista chinês Ai Weiwei revelou uma série de retratos feitos com cerca de um milhão de blocos de Lego, …

De Arte a Z - 26/03/2019

Sesc Guarulhos será inaugurado no dia 11 de maio

O Sesc São Paulo inaugura, no dia 11 de maio, sábado, a sua mais nova unidade, desta vez na segunda …

De Arte a Z - 21/03/2019

Conheça os cartazes impressionantemente mórbidos de filmes pintados à mão dos anos 1980

Os cartazes, muitas vezes surreais ou perturbadores, foram encomendados pelas locadoras de vídeo de Gana para promover as exibições itinerantes.

Uma …

De Arte a Z - 28/03/2019

Indiana Jones do mundo da arte recuperou Picasso milionário

Arthur Brand , um detetive holandês às vezes chamado de “Indiana Jones do Mundo da Arte”, conseguiu outra grande vitória, …

De Arte a Z - 21/03/2019

Harvad é processada por lucrar com fotos antigas de escravos

A Universidade de Harvard se aproveitou “descaradamente” de fotos de dois escravos do século 19, ignorando pedidos para entregar as …

De Arte a Z - 30/03/2019

Canoa usada pelos índios Pataxó e escultura de pau-brasil desembarcam em São Paulo para a SP-Arte

Histórias de recomeços. As peças de destaque no espaço de Hugo França na 15ª edição da SP-Arte reúnem muitos anos …

De Arte a Z - 09/04/2019

Museu Casa do Pontal sofre com inundação

O Museu Casa do Pontal, maior acervo de arte popular do Brasil, foi brutalmente atingido com a pior inundação de …

De Arte a Z - 28/03/2019

Conheça as exposições e museus mais visitados de 2018

File (Festival de Linguagem Eletrônica) no CCBB Rio de Janeiro fica em 11º lugar na pesquisa.

Quase duas décadas se passaram …

De Arte a Z - 18/04/2019

Escultura gerada por AI é feita a partir dos restos desfiados do computador que a projetou

O artista Ben Snell diz que queria dar o controle da escultura sobre os sistemas que o criaram.
A arte de …

De Arte a Z - 09/04/2019

FAMA estreia segunda mostra permanente de seu acervo

Obras de Carmela Gross, Leda Catunda, Luiz Zerbini e Arjan Martins integram nova exposição, curada por Ricardo Resende

Disseminar a arte …

De Arte a Z - 17/04/2019

Documentário sobre Tunga chega aos cinemas

TUNGA, O ESQUECIMENTO DAS PAIXÕES, estreia nos cinemas em 09 de maio. O escritor e editor Miguel De Almeida dirigiu …