Apolo Torres

Por Séverine Grosjean.

Entre a Street art e São Paulo, é uma história de amor. A Street art é hoje um dos meios de expressão mais acessíveis e populares no Brasil. Os artistas deixam suas impressões nesta megalópole como Apolo Torres.

O fascínio de Apolo Torres com a arte começa na idade dos primeiros tiros de lápis colorido. Apolo gosta de aproveitar seu tempo, e é por isso que ele não pinta em ilegalidade, mas de acordo com o lugar e seus habitantes. Depois de um tempo para encontrar seu estilo e para torná-lo amadurecer, Apolo encontra seu estilo. Ele desenha uma sensação de vida com um toque de poesia. Suas obras realistas e tradicionais incorporam as mensagens da vida cotidiana, momentos particulares da vida de cada indivíduo. O estilo de Apolo é pessoal. Essas ilustrações entrelaçam objetos e humanos, às vezes imersos ou emergem na água como reflexo das conseqüências climáticas vividas na cidade durante chuvas intensas como "Passagem" ou "Vibração". Nas paredes ou nas telas, as técnicas utilizadas transportam o público da galeria de arte ou do passageiro da rua para um mundo: por dentro e por fora. A parede e a tela se alimentam mutuamente. Apolo experimenta a linguagem do corpo e as cores.

As pinturas de Apolo provocam um contraste tornando-se referências socioculturais como suas pinturas onde a colher é o elemento central em "Adrift" ou "Bushwick". Personagens caminhando na rua seguram na mão uma colher em vez de um telefone. É como um espelho do que quer prover, mas que nos isola do nosso ambiente próximo. Ciclista em suas horas perdidas, o tema da mobilidade é recorrente. Os acidentes de carro, ciclistas, ônibus são os agentes do assunto. Apolo Torres questiona o design da cidade e a arte de viver nela.

Às vezes, associado a campanhas políticas, como o Dia Mundial contra a Violência contra as Mulheres na Itália, este jovem artista dialoga com os habitantes. E o caso em seu trabalho intitulado "Cotidiano Sufocante ". Os rostos de mulheres maltratadas se misturam com objetos comuns como uma xícara de café. Para uma delas, esse objeto representa a vida ou a morte de acordo com o fato de o marido estar satisfeito. A Street art é um eletrochoque que desperta nosso espaço íntimo.

Em seu novo trabalho em tela, Apolo aprofunda sua pesquisa pictórica e a questão da luz e das sombras. De 21 de setembro a 15 de outubro, uma dúzia de obras serão exibidas no West Annapolis ArtWorks. A introspecção será a palavra-chave. Através da luz e das sombras, objetos comuns serão observados, analisados ​​e apreendidos, que conscientizam suas diversas representações. O espectador será chamado a olhar para o seu interior levado por sensações pessoais.

Nenhuma imagem anexada.

Compartilhar:
Caixa SP
DASartes Viu - - 29/08/2016

Uma frase com três cantos

O primeiro andar da galeria Nara Roesler em São Paulo é tomado por pequenos adesivos recortados em formas milimetricamente geométricas. …

DASartes Viu - - 30/03/2017

Toz | Galeria Movimento

Abertura da exposição “Risco” de Toz (Tomaz Viana) na Galeria Movimento, Rio de Janeiro.

Fotos: Paulo Jabur

Toz apresenta oito obras …

DASartes Viu - - 30/08/2016

Frederico Filippi | O Sol, o crocodilo albino e outras mutações - Athena Contemporânea

“A característica de ser albino é tão marcante que poucas pessoas reparam que o crocodilo tem cinco patas”, comenta Felipe …

DASartes Viu - - 30/08/2016

Alexandre Mazza: No deserto, o oásis somos nós | Luciana Caravello

Nesta exposição, a sala do térreo da linda casa ocupada pela galeria Luciana Caravello em Ipanema foi ocupada por instalações luminosas …

DASartes Viu - - 30/08/2016

Geraldo Melo | Colateral - Tramas Galeria de Arte

As fotos retratam paralelo entre Cuba e os Estados Unidos, um registro do que o artista acredito que em breve …

DASartes Viu - - 02/02/2017

Abraham Palatnik "A Reinvenção da Pintura"

Abertura da exposição “A Reinvenção da Pintura”
com curadoria de Pieter Tjabbes e Felipe Scovino.

Fotos: Paulo Jabur

Centro Cultural Banco do …

DASartes Viu - - 08/12/2016

Carlos Zilio | MAM Rio

Imagens da exposição “Atensão” de Carlos Zilio no MAM Rio de Janeiro.
Fotos: Paulo Jabur

O MAM Rio inaugura a histórica exposição …

DASartes Viu - - 24/11/2016

Sankofa: Memória da escravidão na África

Caixa Cultural Rio de Janeiro

A mostra é resultado da viagem afetiva do fotógrafo e designer gráfico Cesar Fraga, que percorreu nove …

DASartes Viu - - 30/08/2016

Festivafetiva, Cláudia Barbisan | Galeria Mamute

Barbie, where is your pussy?…

… estava escrito na camiseta que Barbi usava para ir ao supermercado comprar delícias. De dia …

DASartes Viu - - 30/08/2016

Luiz Alphonsus: Bares Cariocas | Galeria Trópica

Luiz Alphonsus foi um expoente de uma geração de artistas que beberam do Rio de Janeiro, de sua noite boêmia …

DASartes Viu - - 30/08/2016

Tinho | Reflexão - Galeria Movimento

Diferente do que acontece nas ruas, as telas de Tinho estão expostas com respiro, com amplos trechos de parede branca …

DASartes Viu - - 22/09/2017

Disco é Cultura - Ultrapassando as barreiras do som

Ultrapassando as Barreiras do Som
Por Elisa Maia

Disco é Cultura: O Disco de Vinil na Arte Contemporânea Brasileira, com curadoria …