Angelo Venosa

Surgiu na cena artística brasileira na década de 1980, tornando-se um dos expoentes dessa geração.

Frequenta a Escola Brasil em São Paulo em 1973. Transfere-se para o Rio de Janeiro, no ano de 1974, onde gradua-se em Desenho Industrial pela ESDI (Escola Superior de Desenho Industrial). Nos anos 80, assiste a cursos na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e em 2007 defende a dissertação de mestrado “Da Opacidade”, na Pós Graduação da Escola de Belas Artes da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Angelo Venosa surgiu na cena artística brasileira na década de 1980. É um dos poucos artistas egressos da chamada “Geração 80” dedicados à escultura e não à pintura. Desde então, Venosa lançou as bases de uma trajetória que se consolidou no circuito nacional e internacional, incluindo passagens pela Bienal de São Paulo (1987), Arte Brasileira do Século XX (1987, Musée dArt Moderne de La Ville de Paris), Bienal de Veneza (1993), e Bienal do Mercosul (2005). Em 2012, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM RJ) consagrou-lhe uma exposição individual em comemoração aos 30 anos de carreira, que seguiu para a Pinacoteca de São Paulo em abril de 2013. Ainda em 2013 foi lançado o segundo livro sobre sua obra, também publicado pela Cosac Naify.

Hoje o artista conta com várias esculturas públicas instaladas no pais: – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (Jardins); – Museu de Arte Moderna de São Paulo (Jardim do Ibirapuera); – Pinacoteca de São Paulo (Jardim da Luz); – Praia de Copacabana / Leme, no Rio de Janeiro; – Santana do Livramento, Rio Grande do Sul e – Parque José Ermírio de Moraes, em Curitiba.

Compartilhar: