Utensílios Nativos | IED

O IED apresenta a exposição “Utensílios Nativos”, com peças criadas em madeira nativa brasileira proveniente de manejo com certificado por nove designers: Gustavo Dias, Hugo França, Juliana Llussá, Leonardo Bueno, Natasha Schlobach, Pedro Braga, Ricardo Graham, Rodrigo Ambrósio e Sérgio Cabral.

Para a realização e produção das peças foram utilizadas três madeiras nativas, oriundas de agrofloresta: guanandi, louro pardo e jequitibá rosa. Os objetos criados são variados: desde conceituais, sem função, interativos ou inanimados, até utensílios de gastronomia como tigela, fruteira, travessa, caneca, prato, bule, jogo de colher de pau, tábua de corte, porta-vinhos, entre outros. Há também utensílios de uso pessoal – porta-joias, óculos, joias, uso intimo, porta-livros – e para casa, como vaso, cesto, banquinho, luminária, revisteiro e cabideiro.

A exposição “Utensílios Nativos” pretende demonstrar o potencial da agrofloresta na produção de design nacional, em consonância com a melhoria na qualidade de vida.  A iniciativa também busca o resgate da identidade cultural brasileira através de seus hábitos domésticos. A vida doméstica e seus utensílios são uma maneira eficaz de estudar a cultura de um povo, pois esta intimamente ligada ao cotidiano das sociedades, revelando com isso a identidade de cada povo em todos os tempos históricos.  Os objetos demonstram ainda hábitos regionais e tradicionais de uma sociedade, bem como influências absorvidas com o passar dos anos. É possível assim ter uma base sobre o processo de formação e desenvolvimento cultural de uma sociedade. Fazendo um recorte na cultura brasileira podemos exemplificar algumas influências culturais através dos hábitos a partir da cultura indígena, portuguesa, inglesa, francesa, africana, holandesa, entre tantas outras.

Compartilhar: